Dia de abertura às trutas no Lima.

Dia de abertura às trutas no Lima.




Este é o relato de um dia de abertura às trutas no Rio Lima nas imediações de Ponte de Barca na época de 2008. Claramente uma das minhas melhores aberturas pela quantidade e qualidade das trutas (ver foto).

 A pescaria começou perto das 6h30 a montante de Ponte de Barca na margem esquerda do Lima, perto de um viveiro de lampreias. Fui claramente o primeiro a chegar ao local, num dia de frio intenso em que os passadores gelavam a cada 10 minutos. O local de pesca é do meu agrado pela sequência de açudes que apresenta, albergando bons trofeus de kg. Apostei logo na Mepps Aglia para bater o terreno com mais confiança. Tive oportunidade de pescar 30 minutos sozinho nesse troço, antes de surgirem 4 carros e o triplo de pescadores a rodearem-me pela direita e esquerda. Fiz uma trutita com a medida no açude onde entrei e nada mais. Com tanta gente e barulho à minha volta, logo percebi que as trutas daquele lugar já se tinham escondido. Portanto, passado duas horas de andar a coar água em 3 açudes, havia que mudar!

Perante a concorrência, peguei no carro, desloquei-me para jusante (cerca de 4 km) e mudei para a margem direita, para um sitio que se encontra coberto de salgueiros, e onde poucos pescadores ousam entrar. Foi a melhor coisa que podia ter feito. Com o sol a começar a aquecer, começaram a picar as primeiras trutas à saída dos açudes e debaixo dos salgueiros. Em duas horas e meia fiz cinco boas trutas e vi o mesmo número picar e descravar da amostra. Os lançamentos em posições comprometedoras para a amostra e com pouco espaço de manobra eram os mais proveitosos. Pesquei uma sequência de 4 açudes, antes de encontrar o primeiro pescador e  começar a fazer contas à vida. Altura do almoço!

Depois de duas sandes e uma laranja, já estava pronto para mais acção. Com o cestito já composto, comecei a achar que valia a pena arriscar zonas mais dificeis. Meu dito e meu feito! Arranquei para Touvedo e parei sobre o muro da Barragem. A jusante do muro estavam cerca de 20 pescadores, à marisca ou ao salmão com amostra ou ao fundo. A montante, um ou dois grupos ao fundo. Montante foi a minha escolha. Toca a escolher uma margem (a menos populada) e atacar os buracos mais dificeis. Escolhi a margem direita e comecei num antigo caminho de entrada à Barragem. Primeiro lançamento pica uma truta. Não fica e mudo para Vibrax dourada para pescar mais fundo. Segundo lançamento tiro uma truta de 24 cm. Volto a lançar no mesmo sitio, sinto mais um toque. Ao quarto lançamento, sinto um esticão forte e a cana não mexe. Pensei logo, tronco! Só que o tronco começou a mexer-se e a dar cabeçadas. Tinhamos boa truta! Com muita madeira morta na água, estava montado o cenário para mais uma batalha. Demorei dois minutos para contornar a lenha e arrastar a truta para terra. No final, pesou 1,1 kg. Eram 3 horas da tarde, o cesto já pesava e resolvi fazer mais uma horita ao longo da margem, onde o andamento era bastante dificil. Levei mais dois toques, mas não saiu nada.

Feliz e cansado, resolvi parar a faina perto das 17 horas. Tinha sido um dia em grande em que o mais importante foi a capacidade de adaptação às condições de pesca e à concorrência. Às vezes, há dias em que tudo corre bem. Este foi um deles!!

Para mais informações sobre pesca às trutas no Rio Lima, ver: http://www.trutas.com.pt/rio-lima.html



Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails

Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.