Águas paradas ou lentas? Mepps Aglia!

Águas paradas ou lentas? Mepps Aglia!

Num cenário de caudais baixos, ou simplesmente em zonas de poços ou correntes lentas, há uma colher que tem uma performance inigualável devido ao equilibrio de peso e á forte capacidade rotativa da sua folha. É o tipo de amostra, que caindo na água, começa imediatamente a trabalhar sem qualquer tipo de tracção provocada pela recuperação do carreto. São inúmeras as trutas apanhadas por esta colher mal ela cai na água! É claramente a minha amostra favorita, sendo utilizada mais vezes do que qualquer outra, desde o primeiro até ao último dia de temporada. Estamos a falar da velhinha e comprovada Mepps Aglia simples nos tamanhos 1, 2 e 3. Com pinta vermelha ou pinta escura, dourada ou prateada, é uma autêntica máquina de tirar trutas e bons troféus. Quase todos os meus troféus são devidos a esta colher – a truta de 2kg do Côa em 2009 foi tirada com uma TW

Bem conhecida dos nossos pescadores, esta é uma colher para pescar em quantidade e qualidade nas águas lentas ou nos poços. Lançada desde 1/4 a 4/4 para montante começa a trabalhar mal cai na água e pode ser recuperada lentamente com poucas voltas do carreto. É de uma eficácia impressionante para trutas desprevenidas que a atacam como loucas, mesmo nos grandes poços sem qualquer corrente. Aí convém deixá-las cair quase até ao fundo e recuperar muito lentamente. A sua capacidade giratória produz um ruído bastante intenso e penetrante dentro de água que é responsável por causar uma grande irritação junto das trutas

O seu baixo peso médio também permite que sejam bastante adequadas para o light spinning, no tamanho 1 ou inferior, em ribeiros e pequenas linhas de água com muita vegetação e menos de 20 cm de profundidade. No entanto, para uma acção perfeita e lançamentos razoáveis é preciso escolher linhas mais finas relativamente a outras colheres do mesmo tamanho. O baixo peso desta amostra a isso obriga!No global, penso que esta é uma daquelas amostras que é obrigatória para um bom pescador de trutas ao spinning. Convém sempre começar a época com um bom stock deste tipo de colheres e apostar nelas, sobretudo no primeiro dia da temporada. Muitas vezes, os stocks das lojas de pesca podem falhar para modelos e cores especificas e portanto convém prevenir em vez de remediar. Se os lojistas lhe vierem com colheres substitutas e com conversas de que determinada marca é produzida na fábrica da Mepps, esqueçam! Já tentei algumas dessas cópias baratas e não se comparam nem de perto nem de longe. Têm um trabalhar mais errático, estão mal equilibradas em termos de peso e a capacidade giratória é muito mais reduzida.  

Esta é daquelas colheres em que confio a 100%. Só tem um problema que surgiu recentemente; os últimos modelos vêm equipados com anzóis de carbono de qualidade duvidosa (carbonidis) que tendem a partir na boca das trutas. Em termos de recomendações finais, dois aspectos a salientar. Atenção que a Comet não é substituta para a Mepps Aglia tradicional! E cuidado com os destorcedores, especialmente com o tamanho dos mesmos e com a forma como são colocados na linha! Muitas vezes alteram significativamente a eficácia desta amostra reduzindo a sua capacidade de rotação dentro de água. No meu caso, não uso qualquer tipo de destorcedor!

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.