Nós de pesca para uniões de linhas.

Nós de pesca para uniões de linhas.


Para muitos pescadores de trutas são várias as situações em que é necessário unir linhas de diâmetros idênticos ou diferentes. As mais comuns têm sobretudo a ver com a introdução de terminais numa linha de pesca ou com o enchimento de carretos. A primeira situação é bastante recorrente, especialmente quando as trutas estão bastante ariscas e é necessário pescar mais fino. Já no segundo caso, o que se pretende é a optimização dos lançamentos e dos custos com linhas. Com algumas bobinas de carreto a terem capacidades superiores a 100 ou 200 metros para o diâmetro de fio que utilizamos, torna-se então necessário encher o centro da bobina com uma linha de apoio, normalmente com um diâmetro superior e muito mais barata. Assim, tendemos a ter sempre a bobina cheia durante mais tempo, optimizando a distância dos lançamentos e podemos comprar sempre menos linha de cada vez que vamos à loja de pesca. 

Os nós de união são assim bastante importantes para uma pesca mais eficaz a vários niveis. No entanto, são também os mais perigosos, pois sujeitam as linhas a uma forte perda de resistência à ruptura. De todos os nós que existem, são estes os que mais tendem a fragilizar a resistência das linhas de pesca, portanto, exigem claramente um maior cuidado da nossa parte.

O cuidado deve começar logo na preparação da linha para a elaboração do nó. A primeira actividade a realizar deve incidir sobre a verificação das pontas que pretendemos unir, procurando eventuais cortes ou desgastes sobre a linha. Como o nó corresponde a um ponto bastante sensível na linha, convém construí-lo com a melhor matéria prima. Depois, deve-se avançar para a realização do nó, seguindo todas as instruções básicas e não tentando qualquer tipo de atalhos. Com o nó práticamente pronto, convém humedecer a linha, para permitir um bom encaixe do nó (sem atrito), e depois deve-se terminar o nó com força para assegurar que as linhas estão efectivamente unidas.

Todos os nós devem ser testados em termos de resistência, mal estejam prontos. Em caso de dúvida, o nó deve sempre ser eliminado, pois só nos vai trazer dissabores. É preferivel gastar na linha da pesca do que gastar em amostras ou ver bons exemplares a partir com o fio na boca 🙂

Finalmente, um último apontamento para quem utiliza nós de união para enchimentos de carretos. Para além das regras básicas enunciadas acima, convém sempre tentar reduzir a dimensão do nó ou torná-lo o mais fino possível, de modo a permitir que ele passe despercebido na bobina do carreto. Com nós bem realizados, é possível aproveitar melhor a linha de pesca, pois mesmo os últimos metros podem ser utilizados para pescar. Neste caso, o nó não trava a linha de pesca durante o lançamento.  

Abaixo podem ter acesso a algumas das opções mais comuns que existem para uniões de linha (versões fixas e animadas do site da netknots.com para ajudar a compreender melhor os detalhes e permitir praticar até atingir a perfeição):

  1. Nó de cirurgião
  2. Nó especial de Albright
  3. Nó Seaguar
  4. Nó de sangue

Destes, o meu favorito é o nó de sangue. Utilizo exclusivamente os nós de união para enchimentos de carretos. Estou consciente que não é um dos mais eficientes, mas a força do hábito e a boa performance ao nível do enchimentos de carretos tem ajudado à minha fidelização, ao longo dos anos. De vez em quando lá tenho um ou outro problema para assentar no nó na bobina, mas com calma consegue-se atingir um nó quase perfeito.  

Relativamente ao nós de união com melhores performances em termos de resistência, existe informação disponivel num dos artigos deste site que é baseado em informação do prestigiado site Field and Stream. Lá podem encontrar os resultados dos testes realizados a este tipo de nós que podem ser valiosos para levar alguns de nós a  mudar alguns hábitos. Não se esqueçam, no entanto, que todos os testes tendem também a ter uma margem de erro e estão condicionados ao tipo de material usado.

No final do dia, nada como a prática para nos ajudar a encontrar a melhor solução para os problemas que encontramos durante os dias de pesca. Dentre esses problemas, a questão dos nós é fundamental e merece sempre a nossa atenção.

Boas pescarias!

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.