Pesca à truta no Rio Minho – Novo edital 2011

Pesca à truta no Rio Minho – Novo edital 2011




 

Novo edital para 2018 – Já disponível – Click aqui

O edital 27/2010 vem alterar algumas disposições importantes relativas à pesca desportiva e profissional no Rio Minho. Tendo entrado em vigor em 1 de Novembro de 2010, este documento serve de referência para a pesca à truta na temporada de 2011. Apesar de o edital incidir mais sobre a pesca profissional, existem aspectos que se aplicam à pesca à truta e que merecem a nossa especial atenção. Desde logo, destacamos o período hábil de pesca, a marcação dos exemplares capturados, os tamanhos mínimos do pescado e a utilização de amostras para o spinning.

No que respeita ao período hábil de pesca, registamos com agrado que o mesmo voltou à sua forma antiga, com a pesca à truta a poder ser realizada entre os dias 14 de Fevereiro e 31 de Julho. Nos casos do Sável e Salmão, a temporada é mais curta e decorre entre os dias 14 de Fevereiro e 31 de Maio. Todas estas espécies podem ser pescadas em todo o troço internacional do Rio Minho.

Ao nível de marcação de exemplares capturados, a Capitania obriga a que os exemplares capturados na pesca desportiva sejam alvo de marcação especifica. Assim, os pescadores desportivos devem obrigatoriamente cortar um segmento da barbatana caudal, de acordo com as instruções previstas no edital. Esta medida visa separar claramente o pescado vindo da pesca profissional do que provem da pesca desportiva e será alvo de sanção senão for cumprida.

A nível de tamanhos mínimos, convém realçar que a legislação que se aplica ao rio Minho é diferente daquela que vigora nas outras águas interiores. De modo a salvaguardar as populações truteiras, o tamanho mínimo para capturas no rio Minho é de 30 cm para as trutas mariscas, trutas fário e trutas arco-iris. Por sua vez, o tamanho mínimo para o salmão é de 55 cm.

Relativamente a técnicas de pesca, e no que diz respeito ao spinning, há que ter em consideração as disposições relativas ao tipo de amostras que se podem utilizar. Assim, as amostras só podem ter um anzol triplo e os rapalas só podem ter, no máximo, dois anzóis triplos. Atenção às aberturas dos anzóis, que também se encontram regulamentadas! Finalmente, não se esqueçam que os rapalas não podem ser inferiores a 7 cm.

Estes são apenas alguns dos aspectos que consideramos mais importantes neste edital, no entanto aconselhamos na íntegra a leitura do mesmo antes de avançarem para a acção de pesca no Minho.

O que é pena é que isto só tenha chegado ao meu conhecimento hoje, senão não tinha falhado a abertura no Minho, que era um dos meus rituais antigos. Isto, obviamente, até terem alterado a abertura para o dia 1 de Março. Mas, como se diz por aí mais vale tarde do que nunca, portanto sabado lá estarei.

Obrigado Carlos, por nos fazer chegar esta informação que é bastante valiosa para os pescadores de trutas.

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.