Adiamento da pesca às trutas no Coura – Paredes de Coura

Adiamento da pesca às trutas no Coura – Paredes de Coura

Meus caros,

No seguimento de email do Raúl Ribeiro do PescaComAmostras.com (a quem agradeço a informação), de comentário do Miguel, e citando na íntegra noticia da Lusa, aqui vai:

“A Câmara de Paredes de Coura vai anunciar nos próximos dias o adiamento, de um mês, no período da pesca desportiva no concelho, face aos “valores excecionalmente reduzidos” do caudal do principal rio do concelho.

“O rio Coura apresenta, nesta altura, níveis que só se comparam aos de verão, como no final de agosto. É um caudal muito reduzido mesmo, provocado pela seca que atravessamos”, explicou hoje à Lusa Manuel Monteiro, vereador do Ambiente daquela autarquia.

A época de pesca desportiva no concelho de Paredes de Coura decorre habitualmente entre 01 de março e 31 de julho, regulamentada por edital do município, após parecer do Ministério da Agricultura.

“Face ao reduzida caudal do rio, recebemos um abaixo-assinado, de mais de trinta pescadores desportivos, a solicitar o adiamento da abertura da época, para não colocar em causa os recursos piscícolas”, acrescentou o vereador.

A autarquia acabou por “compreender e concordar”, pelo que, após consultar o Ministério da Agricultura, prepara-se para publicar agora um novo edital, adiando para 01 de abril o início da época de pesca de 2012.

“É, de facto, a melhor solução, porque o rio tem muito pouca água e há meses que não chove. E isso não é nada normal para esta época do ano”, admitiu.

A pesca desportiva no rio Coura é praticada por cerca de uma centena de pessoas, entre as quais dezenas de galegos.

Funciona com base no licenciamento municipal, por períodos de uma semana, sendo apenas concedida a possuidores, também, de licença de pescador desportiva.

A truta é a principal espécie piscícola existente no rio Coura”

Relativamente a esta notícia, só quero louvar a atitude deste grupo de pescadores que tomaram a iniciativa para alterar aquilo que seria um erro crasso.

Isto só me faz pensar que cada vez mais a gestão da pesca nacional deve sair das mãos das entidades públicas e passar para as mãos dos pescadores desportivos conscienciosos, através da criação de um Conselho Nacional da Pesca de pleno direito (em que o Estado teria também a sua participação) com poderes para legislar, cobrar licenças e fiscalizar.

O actual sistema de gestão da pesca que está em vigor neste país está totalmente caduco e inoperacional e não serve os interesses nem da pesca, nem da protecção das espécies e nem dos pescadores. Só serve para cobrar licenças e alimentar meia dúzia de artistas que numa situação normal nem conseguiriam arranjar empregos como arrumadores de carros, tal a péssima qualidade do seu desempenho ao longo dos últimos anos. A pesca tem sido totalmente esquecida ao longo dos anos e um dos exemplos disso é o facto de ainda termos legislação do Estado Novo em vigor neste sector.

Noticias como estas são claramente um exemplo de que muito mais pode ser feito por quem percebe do assunto e está no terreno 🙂 Os meninos dos gabinetes de Lisboa pouco ou nada percebem disto …

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.