Nova concessão de pesca na Caniçada

Nova concessão de pesca na Caniçada

Para quem não conhece, a barragem da Caniçada localiza-se no Rio Cávado a caminho do Gerês. Trata-se de uma barragem de consideráveis dimensões e onde desembocam alguns rios truteiros importantes, como são o Caldo e o Gerês. Apesar de ser uma barragem sobretudo habitada por carpas e achigãs, também possui alguns exemplares de trutas com grande envergadura, mas de captura relativamente difícil.

Truta comum Barragem Pisoes

Até há pouco tempo, podia-se pescar livremente na Barragem da Caniçada e no término dos seus afluentes, mas a partir de finais de Maio, criou-se uma concessão de pesca desportiva nesta zona, que ficou a cargo da Associação de Caça e Pesca do Gerês. A concessão tem a dimensão fantástica de mais de 20 km, numa extensão de cerca de 30 hectares. Por toda esta quantidade de direitos de pesca, há lugar ao pagamento da ridícula quantia de 221,63 euros por ano. Um autêntico preço de saldo para a associação e um autêntico atentado aos contribuintes, pois o Estado está a ceder direitos de pesca que nos pertencem a todos, ao preço da uva mijona. Sem comentários!!

Para quem queira conhecer melhor o plano de exploração desta zona, ele segue abaixo:


Como podem ver, os pescadores sócios da Associação podem pescar gratuitamente. Aliás, com 221,63 euros por ano dá para fazer muitas festas e ainda convidar uns amigos!! Como era de esperar, a maior parte das licenças estão à disposição do pessoal da Associação e respectivos amigalhaços.

Já ao nível das condições de pesca, destaco a novidade da limitação do número de escalos e bogas. Com a captura reduzida a 20, estas espécies devem ter densidades populacionais muito próximas das de trutas que andam com um limite de 10 🙂 🙂 No que se refere aos métodos de captura, flutuador com máximo de dois anzóis e isco indiscriminado. Neste último ponto, não sei se se aplica a lei geral de pesca ou se se pode pescar com peixe vivo e outros iscos proibidos, especialmente no sintético, que poderá ir da lixivia a outras substâncias mais interessantes. Enfim, mais do mesmo, uma vez que quem deveria a controlar a qualidade dos planos de exploração não percebe nada do assunto, tem cargo político e muitas vezes nem quer saber. Depois pagam sempre os mesmos.

No global, esta é mais uma concessão a ter em conta. Apesar de não ser um frequentador da Caniçada para a pesca da truta, certamente que alguns sentem na pele com esta situação, pois sei de boas histórias de captura de grandes exemplares neste local. Se tiverem alguma coisa a dizer, podem sempre partilhar as vossas opiniões connosco. Mais que não seja, conseguimos por para fora o que nos vai na alma.

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.