Rio Mondego a servir a restauração …

Rio Mondego a servir a restauração …

Meados de Agosto e com a temporada geral fechada, surgiu a oportunidade de pescar no Rio Mondego para jusante da Ponte da Mizarela. Aproveitei a previsão de um dia mais fresco e arranquei cedo para a Guarda. O plano era chegar ao local de pesca antes das 7 horas da manhã.

O dia estava bastante favorável. Nevoeiro intenso na zona da Guarda e temperatura de manhã com 14 centígrados. A ideia era atacar alguns poços mais fundos na zona do Porto da Carne onde tradicionalmente se encontravam alguns bons exemplares de trutas. Podia ser que com o bom tempo, as coisas se proporcionassem para o meu lado.

Estava eu quase a chegar, quando à minha direita, na margem da estrada n. 16 entre Chãos e o Porto da Carne, deparo com um sinal em grandes letras a dizer “Peixes do Rio”. Do outro lado, o respectivo restaurante onde este prato seria confeccionado. Imediatamente fiquei perplexo com este anúncio, pois era a primeira vez que o via naquele local desde há vários anos, mas enfim … podia ser que fosse por distracção minha. De qualquer forma, foi um facto que me saltou logo à vista!!

500 metros logo após o restaurante, virei para o rio e em poucos menos de 4 minutos estava na margem. Preparei o material de light spinning e fiz-me à faina. Este ano, e depois de ter andado quase exclusivamente ao heavy spinning, até me dava algum gosto pescar light.

Escolhi os melhores locais, onde antigamente haviam sempre excelentes exemplares de trutas e alguns barbos de tamanho razoável. Bati o rio durante cerca de 4 horas e o resultado foi o pior de sempre. Apenas vi peixe muito pequeno. Não vi um peixe com mais 15 centímetros, nem barbo, nem boga, nem escalo, nem truta. Tive cerca de 10 toques e apenas capturei uma truta de 8 cm, quase menor que a colher que atacou (que é uma número 1 da Mepps Aglia).

Truta 8 cm Rio Mondego Agosto 2014

Perante esta falta de peixe bastante desanimadora por todo o rio, à excepção da Quinta da Ponte e da Ponte do Porto da Carne (que são locais onde está sempre gente a passar), fiquei a pensar sobre o que se teria passado neste rio, num espaço de tempo tão curto. Ainda por cima com a criação de várias concessões de pesca para montante, era natural que a densidade de trutas tivesse aumentado e não diminuído. Também era expectável que aumentasse o tamanho médio das trutas. Infelizmente, estava-se a passar exactamente o contrário!! Como é que isto poderia ser??

Sem tirar nem por, lembrei-me então do novo sinal que tinha visto na estrada:

Anuncio de menu de peixes do rio num Restaurante do Mondego

Como podem ver é um “lindo sinal”, pintado há pouco tempo e com excelente aspecto. Até pode ser mentira, mas no mínimo é bastante suspeito que este sinal surja ao mesmo tempo que desaparecem os peixes do rio Mondego. É uma coincidência no mínimo extraordinária e que me faz pensar que já abriu a época da pesca profissional no Alto Mondego. Não me admirava que este estabelecimento esteja a fazer bom negócio à custa de várias pescarias ilegais realizadas com rede e outros meios menos convencionais.

O que me parece verdadeiramente estranho é ninguém estar atento a esta situação. Será que ninguém ainda notou que os peixes desapareceram?? Nem mesmo os pescadores da zona?? Rastos frescos na margem do rio não faltavam. Da autoridade é que não deviam ser, portanto ou eram de pescadores ou dos furtivos. Admira-me, não haver pelo menos um pescador honesto e sério que não tenha estranhado este panorama.

Bem, independentemente das minhas suspeitas serem infundadas ou não, o que é claro é que o Rio Mondego no troço em que pesquei está a atravessar uma crise grave e que se vai notar nas próximas épocas, a não ser que se faça um repovoamento a sério. O que vi é mau demais para ser atribuído a causas naturais ou a excesso de pesca desportiva. É claramente uma situação típica de pesca à rede em que só se vê peixe muito pequeno que consegue passar pela malha da rede.

Na minha opinião é uma situação que merece no mínimo uma investigação séria que procure apurar o que se passa e que não deixe de lado uma investigação clara à venda de peixes do rio. É bem sabido que quando existe procura para a pesca ilegal, ela tem todas as condições para existir e subsistir. A maior fatia da pesca ilegal é claramente mantida por snack-bars e restaurantes que oferecem nos seus menús peixes do rio, e parece que ninguém se preocupa com isto.

Já alguém se lembrou de fiscalizar estes restaurantes? Verificar quanto é que pagaram de IVA pelo peixe ilegal que compraram? Verificar a licença de pesca do proprietário, se ele diz que foi que ele que os pescou? Será que ele pode comercializar o peixe pescado de forma desportiva, mesmo depois de cozinhado? Acho que não!!

Portanto, a não ser que um dono de restaurante que vende peixes do rio, apresente uma factura onde paga IVA emitida por um pescador profissional devidamente colectado e que exerça a sua actividade numa zona de pesca profissional, ele está completamente ilegal e a incentivar um crime ambiental como é a delapidação dos recursos de um rio na sua zona salmonidea.

À semelhança do que se passa no Vez, onde qualquer tasco vende trutas e peixes do rio, e depois os pescadores desportivos vão apenas lá coar água, mesmo na zona concessionada, também no Mondego a coisa para estar a afinar por esse caminho. Acho que está claramente na altura das autoridades se porem a caminho e investigar este negócio dos peixes do rio dos restaurantes. Não deve faltar material para se entreterem … o que é preciso é vontade de trabalhar, em vez de ficarem todos os dias dentro do carro ou debaixo do ar condicionado 🙂 🙂

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.