Colheres Kali Tanger …

Colheres Kali Tanger …




A temporada de pesca de 2014 acabou por ser uma grande oportunidade para regressar a velhos locais de pesca, como o Rio Minho, e aprender ainda mais com as gentes locais em termos de iscos, locais e técnicas de pesca. Este regresso acabou por trazer frutos positivos, especialmente ao nível da utilização de uma colher rotativa que não fazia parte do meu cesto de pesca; a Kali Tanger.

Apesar de eu já ter falado da marca Kali, quando apresentei há alguns anos a colher Alaska, só muito recentemente é que consegui adquirir alguns exemplares e passar da teoria à prática. Constatei com agrado que o modelo Alaska é efectivamente uma colher de grande qualidade para o salmão, mas que deve ser utilizada unicamente com condições de caudal e meteorologia muito específicas, mesmo no Minho. Já o modelo Tanger, revelou-se um modelo todo o terreno e que me encheu completamente as medidas especialmente no tamanho nº3.

O desenho da colher Kali Tanger assenta numa lógica base de colher rotativa composta por um eixo central e por uma folha de oliva com dimensões correctas. O anzol triplo encontra-se colocado a alguma distância do fim da folha e dá-lhe um aspecto bastante sólido à colher. A colher beneficia sobretudo do grande equilíbrio entre folha, anzol e peso dos seus componentes que lhe dão um comportamento impressionante dentro de água. Comparativamente a uma Mepps Aglia Long, a Tanger consegue ter uma maior hidrodinâmica dentro de água e obtém assim rotações mais rápidas mesmo com velocidade de recuperação mínimas. Isto permite um trabalhar da amostra a várias velocidades sem afectar a sua performance em termos de atracção.

Quanto a pesos, a tanger varia entre os 2 gramas da número 0 e os 8/12 gramas da número 3. A número 3 está disponível em duas gramagens diferentes para aumentar a sua eficácia de lançamento em rios grandes e barragens. Como utilizei sobretudo a número 3 com pesos de 8 e de 12 gramas, tenho a dizer que a diferença é bastante relevante em termos de distância de lançamento e é um factor determinante na sua utilização.

A nível de preços, a Tanger pode ir desde os 1,5 euros por unidade dos modelos mais pequenos até aos quase 3 euros por unidade dos modelos nº3 com maior nível coloração. Para comprar a colher, existem várias opções online, sobretudo em lojas de pesca espanholas, enquanto que em lojas de pesca nacionais não é fácil encontrá-las.

Colheres tanger prateadas nº3

Ao nível das cores, tive a oportunidade de testar várias modelos, desde as simples prateadas, passando pelas prateadas pintas vermelhas, prateadas pintas pretas, douradas, cor de cobre, até às douradas com tons de vermelho. Todas elas revelaram-se extremamente eficazes em condições de pesca diferentes. As mais claras para dias de chuva ou para águas escuras, enquanto as mais escuras acabaram por ser mais eficazes em dias claros ou com águas mais limpas. No entanto, as diferenças não são muito significativas já que tive situações em que, mesmo utilizando a colher errada em termos de cor, consegui boas capturas. Isto demonstra que a grande mais valia destas amostras não se encontra ao nível das tintas, nem dos seus reflexos, mas sim ao nível do seu design, equilíbrio e movimentação dentro de água.

Quanto a problemas, e depois de dezenas de sessões de pesca a utilizá-las, verifiquei o seguinte; o arame central utilizado no fabrico do eixo das colheres não é o melhor já que é bastante flexível. Isto leva a que a colher tenha que ser ajustada quando prende em algum lugar ou dá uma pancada forte numa pedra ou noutro obstáculo duro. Numa situação limite, aconteceu-me mesmo perder o triplo, pois o arame partiu na dobra. Por sua vez, os anzóis triplos da amostra também são relativamente fracos, especialmente os dos primeiros modelos que comprei, e tendem a dobrar facilmente, sobretudo se a amostra ficar presa só por um anzol. Isto aconteceu-me várias vezes e só se resolve com a compra de triplos mais duros para substituir, caso seja necessário.

Mesmo assim, e tendo em conta estes problemas, acho que a colher Tanger é uma boa opção para a pesca nas nossas águas. Tem características únicas e é claramente uma das primeiras opções para os pescadores do Rio Minho em ambas as margens. Para mim é uma agradável surpresa e já me proporcionou enormes alegrias …

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.