Condições do Rio Corgo – Vila Real

Condições do Rio Corgo – Vila Real

Recentemente, tive a oportunidade de passar por Vila Real e aproveitei para realizar um passeio pelas margens do Rio Corgo. Como não podia deixar de ser, o meu interesse rapidamente derivou para as condições da massa de água, nomeadamente para a qualidade da água e densidade piscícola.

Apesar de estarmos num troço de rio no centro de Vila Real, a qualidade da água pareceu-me aceitável. Ligeiramente escura, com uma ou outra saída poluente de pequenas dimensões, mesmo na zona de parque urbano, mas sem causar grande estrago, pelo menos à primeira vista. Ainda caminhei cerca de 500 metros pelas margens, mas não consegui visualizar nenhum exemplar de peixe e muito menos trutas.

O caudal era bastante razoável para a época do ano, tendo sido, sem dúvida, reforçado pelas fortes chuvadas do final de Setembro. As correntes tinham alguma vivacidade e os açudes estavam bem cheios.

O troço em questão está concessionado pelo Clube Vilarealense de Pesca Desportiva e funciona num sistema de pesca sem morte. Estranho é não se ver qualquer tipo de peixe, mesmo em zonas com bastante visibilidade, quando apenas se pratica pesca sem morte!! Enfim, mais um dos mistérios da pesca desportiva em Portugal!

Rio Corgo Vila Real Setembro 2014 - 1

Para quem quiser aceder à concessão de pesca, pode consultar as condições que se encontram abaixo:


Do regulamento acima, apenas estranho a possibilidade de se pescar sem morte com flutuador ou ao fundo com isco animal ou vegetal. Não sei se isto considera o facto de muitas vezes ser difícil controlar a forma como o peixe engole o isco, fazendo com que se crave nas guelras ou então à entrada do estômago. Nessa altura, e querendo-se recuperar o anzol, certamente que são poucos os peixes que ficam em boas condições de sobrevivência.

No que diz respeito a preços, são 5 euros para os pescadores que não residem no concelho de Vila Real, no entanto e atendendo ao que vi, ou melhor ao que não vi, não sei se vale a pena ir a esta concessão a pensar em pescar trutas. Com abletes e góbios na lista piscícola, parece-me pouco provável que existam umas trutas de jeito. Sei que foi feito um repovoamento de trutas este ano, mas numa concessão que fica mais para montante desta (Vilarinho de Samardã). Aí, se calhar vale a pena perder o amor aos 5 euros no próximo ano …

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.