Dia de grandes trutas no Côa

Dia de grandes trutas no Côa


Já há muito tempo que eu não fazia uma pescaria às trutas no rio Côa em pleno mês de Março. Com afazeres profissionais e outros a direccionarem-me mais para a zona do Minho, normalmente só tinha oportunidade de atacar a zona centro lá para meados de Maio, numa altura em que as trutas já estavam mais do que batidas. No entanto, este ano as coisas proporcionaram-se de forma diferente e como tal tive oportunidade de voltar às margens deste grande rio.

O plano estratégico já estava delineado desde o dia anterior. Aliás, tive oportunidade de convidar o Mota para vir comigo, mas ele já estava comprometido com uma pescaria aos lúcios do outro lado da fronteira. Ia ser uma expedição a solo num local que bem conheço e onde eu sei que a praga dos Espanhóis e dos pescadores de trutas mais ferrenhos do Côa não costumam parar.

Cheguei ao local por volta das 7 horas da manhã e comecei a pescar eram 7h10. O dia estava muito frio, com temperaturas quase negativas, e o céu claro. Não me parecia o dia ideal para tentar as trutas. Mesmo assim, preparei o equipamento de heavy spinning e resolvi começar a pescar para montante. Interessava-me lançar o mais longe possível e tentar colocar a amostra onde a maioria dos pescadores não conseguia.

Durante uma hora e meia, pesquei um troço razoável do Côa para montante e nada mexeu. Nem sinal de trutas. Apenas vi algumas pegadas de pescadores da semana passada, o que não era um bom sinal.

Entretanto, cheguei à entrada de um pequeno afluente no Rio Côa e a partir dali para montante, tudo mudou de figura e em pouco tempo eu consegui realizar umas maiores pescarias de trutas da minha vida, capturando apenas 6 exemplares! Mas que exemplares! A sequência foi tão rápida e a adrenalina tão alta que nem acho que valha a pena estar a descrever as capturas de forma individual. O melhor mesmo é visualizar o vídeo que se encontra abaixo:

Precisamente às 11 da manhã tive que acabar a pesca. O peso do cesto era insuportável e as trutas já estavam muito para fora e não se conseguiam transportar convenientemente. A rota estava traçada e fui direitinho à mala do carro para descarregar e recompor forças. Posteriormente, ainda voltei ao local onde tinha terminado para fazer mais uma tentativa, mas as trutas parecia que tinham desaparecido. É que nem sinal delas!! Durante duas horas coei água e acabei por dar a pescaria por terminada oficialmente.

Estava eu a chegar ao carro quando encontro uma equipa de três pescadores à amostra. Uma mulher e dois homens a pescarem com amostra bem grandes e pesadas e com aspecto de já virem de longe. Lembro-me de ter visto de relance uma Mepps nº4 ou nº5 firetiger na ponta da linha. Lá passei para o carro e eles depois passaram por mim. Primeiro, fui interpelado brevemente pelo pescador e pescadora mais jovens. Nada tinham tirado e eu também disse que nada tinha tirado (o que não deixava de ser verdade, especialmente na minha segunda saída). Entretanto, surge o pescador mais velho e mais manhoso que andava com Mepps Aglia dourada nº3 e que se cola à mala do carro. Lá me disse que tinha tirado uma truta de 30 centímetros (fez questão em mostrá-la) e depois perguntou-me 5 ou 6 vezes se eu tinha tirado alguma coisa. Eu respondi que não, até porque tinha o cesto vazio depois da minha segunda saída. Mesmo assim, ele não ficou convencido, especialmente quando eu lhe disse que andava ali desde as 7 horas. De nada lhe adiantou, pois eu não tinha qualquer interesse em me vangloriar das minhas capturas. O que verdadeiramente me interessava era manter a zona o mais secreta possível para evitar excesso de pressão de pesca. Assim, foi sempre a chutar para canto até que o homem deve ter compreendido que o meu problema era que não percebia nada de pesca ao spinning.

Enfim, resumindo esta história da forma mais clara possível, na minha cabeça só ficou a sucessão de fotos abaixo. Tudo o resto são meras palavras que não atingem as emoções vividas.

Truta 37 cm Rio Côa março 2015

Truta 48 cm Rio Côa março 2015

Truta 54 cm Rio Côa Março 2015

Truta 50 cm Rio Côa Março 2015

Truta 47 cm Rio Côa Março 2015

Truta 53 cm Rio Côa Março 2015

Uma das minhas melhores pescarias de sempre às trutas!! Hei-de voltar a este local, mas só daqui a algum tempo considerável. Para já, há que as deixar recuperar 🙂 🙂 que bem precisam …

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.