Boas trutas do Coura em Junho!!

Boas trutas do Coura em Junho!!


Meados de Junho e mais um dia quente a prometer muita pouca actividade da parte das trutas. Depois de uma manhã com poucos resultados no Rio Lima, rapidamente surgiu a opção de visitar alguns spots no Rio Coura que tendem a manter produtividade alta, especialmente devido à forte cobertura vegetal deste rio. Em muitos casos, a salvação de alguns dias bastante fracos em rios de maior caudal consegue-se realizar em rios de menor caudal e com grande presença de árvores.

Assim, e mantendo o equipamento de heavy spinning que já vinha do Lima, resolvi atacar um pequeno troço do Rio Coura que normalmente é desprezado por grande parte dos pescadores de trutas a partir de finais de Abril … e ainda bem!!

Os primeiros lançamentos saíram numa zona relativamente profunda e tudo parecia estar parado num primeiro momento. A água estava bastante translúcida e não se via qualquer movimentação à superfície. Parecia o dia ideal para andar a coar água …

De repente, e ao décimo lançamento no mesmo local, tenho o primeiro sinal auspicioso. A colher vinha a meia água e quando estava a chegar perto dos meus pés sinto uma boa pancada. Não consegui visualizar a truta, mas era truta de certeza. Resolvi insistir, e focalizei a minha atenção nos lançamentos para jusante.

Num desses lançamentos, deixei afundar um pouco a amostra, comecei a recuperar e a meio do trajecto sinto uma forte pancada e o carreto inicia a chiadeira. Era bicho de jeito. Deixei levar os primeiros 10 metros de fio e depois comecei a aplicar alguma pressão para evitar fugas para as raízes das árvores. A truta estava claramente em modo de fuga e vendo-se apertada nas corridas, começou a dar de cabeça e a enrolar. De nada lhe adiantou e como tal voltou outra vez às corridas, entremeando a mesma com dois saltos espectaculares. Era uma linda truta!!

Sentindo-se cansaço, resolvi aplicar mais pressão e saquei de camaroeiro. Como a margem era inclinada, tive que fazer um esforço adicional e, depois de cinco passagens da truta, consegui a meter dentro da rede. Uma linda truta Kileira de 45 centímetros.

Truta 45 cm Rio Coura Junho 2015

Com esta captura inesperada, a motivação disparou para o resto do troço. Os lançamentos começaram a sair com mais força e mais precisão, não ficando um único buraco por bater. Logo a seguir, mais trutas a bicar a amostra. Eram trutas de 27 a 32 cm em modo de ataque e extremamente activas. Nem parecia normal. Em 12 lançamentos, tive 7 toques e duas trutas cravadas que se soltaram. Era muito bom para ser verdade em termos de actividade, especialmente já após vários meses de pressão de pesca.

Já no final, e após vários lançamentos no mesmo local, resolvi lançar mais uma vez por entre as árvores. Recuperei lentamente e quando a amostra vinha a chegar aos meus pés, vejo um brilho e crava-se uma truta nos triplos. Nem me deu hipótese!! Saltou de tal maneira fora água que, com pressão que apliquei na linha, acabou por cair em terra firme. Uma linda truta de 29 centímetros!

Truta 29 cm Rio Coura Junho 2015

Já mais do que satisfeito, decidi acabar o que faltava do troço que queria pescar. Mais uma entrada por entre as árvores e mais um lançamento para montante. A colher começou a rodar e de repente a linha começa a andar de lado e com alguma força. Sem dúvidas, cravo com força e o carreto começa a dar linha. Era mais uma boa truta. Até parecia mentira … e numa zona onde eu já tinha visto movimento à superfície … a truta estava mesmo com vontade.

Entre cabeçadas e corridas, a truta fez de tudo para se soltar dos anzóis, mas estava muito bem cravada. Lá trabalhei durante 5 minutos até a cansar bem e quando já estava no ponto, foi só meter o camaroeiro e metê-la dentro da rede. Ainda pediu 7 ou 8 passagens, mas não escapou. Mais uma truta kileira com 44 centímetros.

Truta 44 cm Rio Coura Junho 2015

Com esta captura e com o calor a atingir o pico, achei que não valia a pena continuar. Já tinha tido a minha dose de emoções e os locais adicionais disponíveis no Coura não estavam sequer a 10% do nível que eu tinha encontrado ali. Portanto, só restava mesmo saborear a excelente pescaria de final de Junho e planear próximas jornadas … à procura de mais grandes exemplares!!

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.