Abertura às trutas 2016!!

Abertura às trutas 2016!!


Caros amigos pescadores de trutas, chegou finalmente o momento por nós tanto ansiado!!

Estamos a menos de um dia da abertura da pesca às trutas e já muitos de nós estão a finalizar os preparativos para se deslocarem ainda hoje para os locais de pesca (E eu não sou excepção 🙂 ). Quero aproveitar esta oportunidade para desejar a todos os colaboradores e visitantes do Trutas.PT, uma excelente abertura recheada de bons momentos de pesca e de amizade.

Para os verdadeiros praticantes do spinning, interessa essencialmente comprovar a boa forma em termos de lançamentos, escolhas de iscos e recuperações adequadas. Independentemente das capturas, uma boa abertura vai-se sobretudo medir pela capacidade de visualizar bons exemplares de trutas, de não perder amostras e pelos bons momentos passados com os amigos.

Este ano e perante as generosas condições das massas e cursos de água, é nossa impressão de que a pesca ao spinning pode ser proveitosa. As fortes chuvas de Janeiro e Fevereiro criaram as condições necessárias para uma boa movimentação das trutas de maior tamanho para os locais de desova e também para uma elevada concentração de nutrientes nos leitos e margens dos rios. De qualquer forma, e apesar de em termos genéricos termos provavelmente que pescar mais pesado, a escolha dos iscos e das linhas deve ser condicionada pelo tamanho da massa de água e força do caudal. Os grandes rios, Minho, Cávado e Lima, devem estar fortemente condicionados pelos débitos das barragens a montante, portanto as condições de pesca podem-se alterar radicalmente ao longo do dia. O mesmo, pode também passar-se em rios mais pequenos afectados por barragens, como por exemplo o Coura ou o Côa.

Em termos de temperatura, os valores expectáveis são relativamente baixos, mesmo negativos, e fazem-nos crer que as trutas poderão apresentar níveis reduzidos de actividade, sobretudo em zonas de montanha. Esse é um facto a ter em conta, especialmente para quem está habituado a aberturas mais gélidas e onde as trutas demoram a decidir-se no ataque à amostra. A escolha de iscos mais pesados e uma recuperação mais lenta podem fazer a diferença. É também de crer que a escolha das horas de pesca pode ser importante, já que é bastante razoável que os níveis de actividade das trutas aumentem nas horas mais quentes do dia.

Quanto ao dia de amanhã, as últimas previsões, depois de várias alterações nos últimos dias, apontam para um dia com céu limpo entremeado por algumas nuvens e para um vento fraco a moderado, aumentando de intensidade durante a tarde. As condições são as ideais para a prática do spinning, não se antevendo qualquer dificuldade de maior em termos de lançamentos. Aliás, a principal dificuldade a existir e a causar perda de amostras, poderá ser a forte alteração do leito dos rios com a criação de novos obstáculos em troços que já conhecemos, portanto convém ver onde é que deixamos afundar as amostras.

Queria só deixar uma última palavra para a questão da segurança. Uma boa pescaria não é aquela em que se tiram muitas trutas, mas é aquela em que ninguém se aleija. Portanto, quer na estrada, quer no rio, aconselha-se uma postura defensiva. Até, porque alguns de nós têm andado afastados das vertentes rochosas de alguns rios. Não vale a pena meterem-se em grandes aventuras, pois não há nenhuma truta que valha um vida humana.

Fica aqui um forte abraço para todos e … Boa Sorte!

P.S.: Para aqueles que andam um pouco distraídos das questões legais, atenção à criação de novas concessões e aos editais que saíram no ICNF. Já actualizei o meu site com nova informação para 2016 e aconselho-vos a todos a arranjarem o máximo de informação antes de avançar para a margem do rio, porque está tudo a mudar muito rapidamente, por exemplo, não se esqueçam que a abertura no Minho é só no dia 1 de Abril.

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.