Ribeira de São João de Agra – condições

Ribeira de São João de Agra – condições

Já quase em cima do famoso dia 1 de Março, passamos pela Ribeira de São João de Agra e tivemos oportunidade de observar as condições actuais deste curso de água.

Como era de esperar, e apesar das fortes chuvadas dos últimos dias, a ribeira tende a escoar rapidamente e como tal apresentava um caudal que se enquadrava perfeitamente dentro das margens. Mesmo assim, as correntes têm alguma força e podem condicionar a qualidade da evolução dos iscos, especialmente nas zonas onde as trutas podem estar a alimentar-se. De qualquer forma, verificamos que mesmo com uma corrente considerável, existem poços qb e portanto algumas das trutas devem deambular por ali e serem presas mais fáceis para as amostras ou para a minhoca.

A temperatura da água era razoável para a época do ano que atravessamos e registamos com agrado que a cor da água mantém-se transparente, fazendo-nos pensar que a poluição continua a estar arredada desta grande ribeira.

Ribeira de São João de Agra - correntes - Fevereiro 2016

Como podem verificar pelas fotos, a principal dificuldade de pesca nesta ribeira nos primeiros dias vai ter a ver com o facto de as pedras poderem estar muito húmidas e escorregadias e também com a dificuldade de alguns troços, especialmente na zona próxima com a confluência com o Coura.

Não vi qualquer truta neste local, mas também isso não é nada fácil, atendendo à transparência e comportamento furtivo das trutas nesta zona. Acredito que este ano, as trutas desta zona possam ter engordado um pouco mais, mas o tamanho médio tende normalmente a ser relativamente reduzido. Isto não quer dizer que não se possam passar momentos divertidos neste curso de água, especialmente em termos de quantidade de capturas e da qualidade de alguns lances.

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.