20 minutos num buraco do rio Coura

20 minutos num buraco do rio Coura

Depois de uma abertura que deixou muito a desejar e que marcou da pior forma o início de temporada, resolvi voltar a visitar o único local que me tinha deixado alguma água na boca: o Rio Coura. Apesar de ter entrado já tarde no dia da abertura, tinha visto algumas trutas a mexer em zonas relativamente visitadas e tinha posto algumas a morder em zonas de mais difícil acesso. Sinal claro de que alguns locais não visitados podiam ainda dar alguma coisa.

Assim, e sem grandes dúvidas, resolvi atacar um dos buracos de muito difícil acesso do Rio Coura. Entrei no local por volta das 12 horas, e atendendo à cobertura vegetal, não tinha pesca para mais de 20 minutos. O que era preciso era agora verificar se as trutas estavam nas posturas correctas e dispostas a morder. Em 2015, a minha visita inicial a este local tinha sido uma perda de tempo, mas agora podia ser que o cenário melhorasse.

Armado com a cana de 1,8 metros, fio 0,18 e amostra Tanger nº3 , comecei a bater os primeiros locais numa zona de corrente relativamente rápida, com dois ou três poços de pequeno tamanho. Lancei incessantemente para os locais mais promissores, mas nem sinal de truta.

Já sem grande esperança, resolvi atacar os últimos 70 metros de rio para montante, antes de deparar com uma parede intransponível de silvas. No primeiro lançamento, nada. No segundo lançamento, sai uma trutas do meus pés e foge para o centro do rio. Insisti e insisti, mas nem mais um sinal. Por fim, e já com a esperança em baixo, lanço o mais longe possível para montante, começo a recuperar e quando a colher entra numa zona de seixo rolado, sinto um toque e cravo instintivamente. Do outro lado, vejo uma truta a dar de lado. Lá a seguro como posso e começo a arrastá-la para mim. Ela tenta de tudo para fugir, mas como o seu tamanho era pequeno e estava bem cravada, não tardou a terminar nas minhas mãos. Um lindo exemplar de 21 centímetros, a demonstrar que mesmo após a abertura vale a pena voltar aos buracos do Coura.

Truta 21 cm Rio Coura Março 2016

Sem mais espaço para continuar, dei por finalizada a minha incursão no meu buraco tradicional do Coura. Este ano rendeu uma truta e vi mais uma. Sinal de que provavelmente terei que lhe fazer outra visita lá mais para a frente, pois as trutas ali começam a estar bem activas as partir de finais de Abril e nessa altura vão morder a sério.

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.