Às trutas do Coura por entre as algas …

Às trutas do Coura por entre as algas …

No passado fim de semana, resolvi dar mais uma volta às trutas. Com o tempo bastante quente e o céu completamente claro, torna-se difícil escolher um bom sítio para tirar algumas trutas. No entanto, e depois de ponderar bem as minhas hipóteses, decidi visitar um troço médio do Rio Coura, onde eu costumo ter sempre bons resultados nesta altura do ano. Não sabia ainda como estariam as condições nessa zona, mas a boa cobertura vegetal, dentro e fora de água, devia providenciar um óptimo refúgio para o calor e o sol.

Quando cheguei, preparei logo o material de light spinning na minha cana de 1,8 metros. A água estava clara e havia uma corrente relativamente sustentada, proveniente certamente da Central de France. Testei logo a água para verificar a sua temperatura e pareceu-me estar relativamente morna e adequada para permitir níveis normais de actividade por parte das trutas.

Estando consciente de que estavam reunidas boas condições para poder fazer algumas trutas, disparei os primeiros lançamentos num ponto escolhido a jusante. Logo ali, vi alguns exemplares pequenos a virem atrás da colher, mas a manterem sempre a distância de segurança. Ainda tentei alternar a velocidade de recuperação e deixar a amostra tocar o fundo, mas sem resultados.

Insisti continuamente durante 20 minutos nos lugares mais propícios, mas sem grande novidade. Levei dois toques de pequenas trutas em zonas mais fundas, mas sem a força suficiente para haver lugar a cravadela. Comecei a temer que a coisa ia correr mal!!

Estava eu já a preparar-me para ter que lutar para tirar a grade, quando, num lançamento cruzado para a outra margem, consigo meter a colher mesmo debaixo de um amieiro e mal começo a recuperar, vejo uma boa truta a arrancar para jusante com a amostra na boca. Cravo-a imediatamente e ela salta fora de água com muita força. Tento segurá-la qb, sem puxar demasiado o fio, pois estava com 0,12, mas ela não parecia decidida a render-se logo. Tive que a deixar fazer das suas durante mais de um minuto para conseguir levar a captura a bom porto. Só quando acalmou é que lhe consegui deitar a mão. Uma linda truta do Coura com 27 centímetros e umas pintas negras impressionantes.

Truta 27 cm Rio Coura Julho 2016

Depois desta captura, senti-me mais aliviado e ganhei alento para mais uns lançamentos difíceis. Impressionantemente, as trutas também ganharam outro nível de actividade. Nos restantes 300 metros de troço que pesquei de seguida, levei cerca de 16 toques e apanhei 6 trutas. Não percebi como, mas parecia que tinha entrado num troço de rio completamente diferente. Não vi nenhum exemplar grande, mas fiquei bastante satisfeito com a boa densidade de trutas de pequeno e médio tamanho que encontrei, que penso serem um bom augúrio para o próximo ano, especialmente se nada de mal (incêndios, poluição, etc.) ocorrer até ao final deste ano.

Foram decididamente 45 minutos de pesca de bom nível que reforçam cada vez mais a vontade de pelo menos visitar este local uma vez por ano durante esta altura. O Coura continua a ser um grande rio, e mesmo depois de uma temporada em cheio, continua a ainda a facultar pescarias deste nível, num dia que eu considerei não ser dos mais promissores para a pesca …

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.