Barbos da zona raiana …

Barbos da zona raiana …


De férias por terras raianas, resolvi realizar uma visita a um grande rio truteiro espanhol que desagua do lado de cá. O meu objectivo inicial não eram as trutas, pois as mesmas tendem a estar concentradas muito mais para montante, mas sobretudo alguns barbos e bogas que tendem a ter uma abundância relativa no local onde costumo pescar. Isto, porque, pesco numa zona de desfiladeiro e de acesso bastante difícil. Nas zonas de fácil acesso, é notória a quase total inexistência de peixe de tamanho razoável, sobrando apenas os alevins que conseguem escapar à malha fina dos furtivos que abastecem os restaurantes e festas da região.

Mesmo sabendo isto, resolvi abrir as hostilidades com uma pequena incursão na zona de mais fácil acesso. Pura perda de tempo. Nem sinal de peixe decente. Um ou outro alburno a mordiscar o isco e nada de peixe com tamanho para poder ser capturado.

Depois desta miséria, nem perdi mais tempo. Comecei a escalar e fiz 300 metros para montante em zona complicada, utilizando os vários túneis e passagens de javali e entrando num local onde não se viam pegadas humanas. Zonas de uma beleza insuperável e difíceis de serem frequentadas pelos furtivos.

Primeiro lançamento na corrente, o isco cai e começa a evoluir lentamente. Dois barbos arrancam, um ao peso e o outro ao isco. Sinto o primeiro toque e cravo, apenas para ver um arranque tresloucado e o carreto a dar fio. Uma linda sensação que só um potente barbo pode dar. Tirou-me 30 metros de fio antes de começar a dar o primeiro sinal de cansaço. Depois foi trabalhar, tirar o camaroeiro e evitar as pedras. Em poucos menos de 4 minutos, tinha o primeiro barbo de kilo no cesto.

Barbo 48 cm zona raiana Agosto 2016

Com esta captura assegurada, fui focalizando a minha atenção na acção de pesca e realizando mais capturas. O calor aumentava e os barbos pareciam estar mais activos avançando nas zonas de corrente e nos recantos com sombra. As capturas iam-se sucedendo, mas ou conseguia bons exemplares ou exemplares pequenos. Havia uma falta significativa de peixes de tamanho médio, nomeadamente escalos e bogas, que eram relativamente comuns por estes lados.

Em pouco mais de 3 horas, enchi o cesto com barbos de bom tamanho e com as temperaturas a chegar aos 40 graus não tardou muito a dar a faina por terminada. Uma jornada diferente e que deu para visitar zonas com uma paisagem excelente e raramente visitadas pelos humanos. A única maneira de se conseguir peixes decentes em zona raiana!!

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.