De manhã cedo em Venda Nova …

De manhã cedo em Venda Nova …

Com Agosto a terminar e as férias a ficarem para segundo plano, resolvemos juntar os pescadores de trutas mais “hardcore” para uma expedição às barragens do Gerês no início de Setembro. A ideia não era certamente tirar muitas trutas, porque as notícias que nos chegavam eram de águas muitos quentes e trutas pouco activas e escondidas nas profundidades. O que se pretendia era sobretudo rever os amigos e passar alguns bons momentos a malhar massas de água para ver até que ponto conseguíamos sacar o milagre!!

Para esta empreitada reunimos uma equipa de 4 artistas: eu, o Torres, o Ivo e o Bruno. Objectivo principal: ir às trutas de Paradela, mas como o vício era muito e o Torres marcou à 5h30 em Braga, não havia hipótese de tirar as licenças e avançar de imediato para Paradela. Portanto, e como solução alternativa, resolvemos fazer a alvorada em Venda Nova e depois iríamos rumar a Paradela.

Quando chegamos a Venda Nova eram 6h30 da manhã e ficámos estupefactos!! A barragem estava quase com nível máximo! Certamente água bombeada durante a noite, mas poucos locais para pescar ao spinning de forma livre, já que nalgumas zonas a passagem não era fácil e também porque havia muita vegetação dentro de água a tentar as nossas amostras.

Mesmo assim, e como as opções não eram muitas, resolvemos escolher duas zonas para bater e pegamos no material de heavy spinning. Ainda não eram 7 horas e eu e o Ivo já estávamos a malhar seguido. Nos primeiros lançamentos não se viu nada, mas passados 5 minutos vi um ou outro peixe a sair da vegetação da margem e a tentar atacar a amostra (Black Minnow). Eram luciopercas com um tamanho bastante reduzido!!

Fomos lançando sucessivamente e cobrindo margem, e num lançamento mais longo tive a impressão de um toque valente, mal a amostra caiu na água, mas sem seguimento. Enfim, só se viam mesmo alguns pequenos luciopercas a sair da vegetação próxima da margem. Cansado de insistir, resolvi meter um rapala X-Rap de 6 centímetros e logo nos primeiros lançamentos, realizo a primeira captura. Um lucioperca de 16 centímetros, que depois de ver o rapala passar, resolveu-o atacar quando estava parado, mesmo em frente aos meus pés!!

Lucioperca 16 cm Barragem de Venda Nova Setembro 2016

A captura simbólica não permitiu animar muito. Não se via sinal de peixe razoável e o nascer do dia em Venda Nova não estava a ser nada promissor. O Ivo manteve o Black Minnow e não tirou nada, e o Torres tirou alguns luciopercas pequenos. Só mesmo o Bruno é que conseguiu desencantar um lucioperca com mais de 30 centímetros, mas foi peça única.

Trutas é que nem vê-las, nem cheirá-las!! Assim, e muito antes da 8 horas da manhã, já estávamos a juntar o material e avançar para Paradela do Rio. Não havia tempo a perder e Venda Nova não ia fazer milagres!! Talvez com uma trovoada e menos água, mas não era dia para isso!!

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.