13 trutas em 3 horas no Coura … lotes …

13 trutas em 3 horas no Coura … lotes …




Com a possibilidade de tirar um dia muito perto do final da semana, resolvi marcar uma pescaria para um local que se tem tornado um hábito nos últimos anos: a concessão de pesca desportiva do Rio Coura. Este ano mais tarde do que em anos anteriores, mas mesmo assim ainda a tempo para desfrutar de uma boa manhã atrás das trutas do Coura. Desta vez, e ao contrário do que tem acontecido, fui sozinho, Não por vontade própria, mas sim devido ao facto de que a totalidade dos meus companheiros de pesca já tinham outros afazeres marcados para esse dia.

Sabendo que só por volta das 7h30 é que conseguia ter acesso à licença no Restaurante Constantino, levantei-me às 6 da manhã e fui preparando tudo com calma. Tal como planeado, cheguei ao restaurante eram 7h35 e estava à beira do rio, preparado para malhar, eram 7h45.

O dia estava muito pouco nublado e com aspecto de se tornar rapidamente quente. As melhores horas iriam ser certamente as primeiras. Enquanto o sol não batesse na água e a temperatura não começasse a subir!! Para ir logo direito ao assunto, parei o carro junto a um bom poço e meti um Black minnow de 7 centímetros. Se houvesse truta de bom tamanho, era ali que tinha que estar e o momento era aquele. Lançamento largo para a outra margem e começo a trabalhar o vinil. Vem ele a chegar perto de mim e vejo um bom lombo a vir à superfície do meu lado direito. Truta de kilo e longe do vinil. Ainda não o tinha visto!! Outro lançamento cruzado, no sentido da evolução da truta. A meio da recuperação, flash branco no centro do rio, e vejo um lombo de boa truta a acompanhar o vinil na descida. Já o tinha visto. Morder é que nada. Mais um lançamento. Durante toda a recuperação, nem sinal de truta. Preparo-me para tirar a amostra da água, quando vejo um arranque de algo debaixo do meus pés e sinto a linha a esticar toda. Um grande ataque da truta seguido de um salto fora de água. Tento segurar, mas depois de três saltos cospe o vinil!! Não cravou bem!! Boa oportunidade, boa estratégia e má finalização … Era truta de kilo e meio. Fiquei chateado, mas não me estragou o dia!! Ainda tentei peneirar um pouco mais o local, mas sem resultados. Era o único exemplar decente por ali.

Com os primeiros 15 minutos de pesca a darem muita emoção e pouco resultado, resolvi voltar-me para o light spinning e bater os troços da forma habitual. Linha 0,12 e Mepps Aglia nº1. Logo nos primeiros lançamentos, faço a primeira captura. Uma pequena truta de 17 centímetros num poço. Efectivamente, os efeitos da seca do ano passado faziam-se ainda sentir no Coura. As correntes de pouca profundidade, sem qualquer poço decente a montante ou jusante, não tinham quaisquer trutas. Só nas outras é que valia a pena insistir.

Adicionalmente, também verifiquei que junto aos viveiros, havia uma enorme abundância de pequenas trutas arco-íris com enorme voracidade. A cada lançamento, iam picando sucessivamente e lá iam saindo algumas, sempre dando alguma luta. No entanto, não tinham sequer o tamanho mínimo. Enfim, davam sempre para um indivíduo se entreter. Também verifiquei que haviam algumas farios de repovoamento ou que fugiram aos viveiros. A maior que tirei, com cerca de 24 centímetros, foto abaixo, era uma dessas. Barbatanas laterais muito curtas e comidas pelo cimento dos tanques.

Quanto a trutas de bom tamanho, marquei 3 bons exemplares de kilo em poços diferentes. São trutas que já não vão ser pescadas esta época e que oferecem garantias de eu poder ter alguma sorte no próximo ano. A ver vamos.

No global, valeu a pena voltar aos lotes do Coura. Este ano com mais canalha, mas ainda com a possibilidade de retirar um ou outro exemplar. Consegui tirar 13 trutas, mas mais de metade não tinha o tamanho mínimo. Ficou-me na boca o sabor amargo de ter perdido uma boa truta logo ao início, mas ela não perde pela demora … Vai ter só que esperar um ano até eu lá voltar 🙂 🙂 Porque de certeza que vou voltar …

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.