Convívio Trutas.PT – 2018

Convívio Trutas.PT – 2018

Tal como esperado, conseguiram-se juntar cerca de 20 pessoas para um convívio de pesca de grande qualidade realizado na barragem dos Pisões. Apesar de alguns atrasos iniciais nas chegadas ao local de encontro, conseguiu-se juntar a grande maioria dos participantes no café do Sudro, onde chegamos já nas últimas para ainda conseguir comer uns panikes. Depois dos cumprimentos e do pequeno almoço da praxe, dividimos os locais de pesca e arrancamos para Pisões com grande vontade de coar água.

As equipas foram determinadas pelo número de viaturas ficando eu com o grande António, que é um especialista de primeira categoria no Bass. Tínhamos até às 12h30 para fazer serviço e pelas 7h45, já estávamos a descer monte para começar a lançar. Escusar será dizer que não éramos os primeiros, pois já estava um indivíduo a pescar com 6 canas ao fundo e uma ao spinning muito perto da zona que tínhamos escolhido. Completamente dentro da lei, porque apenas tinha uma cana na mão, já que as outras eram dos 6 amigos que não estavam ali, mas que vinham a caminho ou estavam no café.!!! Bem, tudo como de costume.

Começamos a preparar o material, e o António é o primeiro a lançar, mesmo na saída de uma linha de água. De repente, ouço um barulho dentro de água e vejo o António com a cana dobrada a gritar e a arrastar peixe com força. Do outro lado, via-se pancada à superfície e cabeçada forte. Como estávamos com isco de achigã, pensamos logo que fosse um bicharoco. O peixe lá se foi chegando à margem e eu aproximei-me para dar ajuda. Quando o peixe entra em menos de 40 centímetros de água, vejo um lombo negro com pintas pretas a dar a volta e a mostrar a barriga branca, ao mesmo tempo que se descrava do anzol. Era uma grande truta com espessura para ter entre 3 a 4 kg. Uma besta que entrou logo ao primeiro lançamento, mas que conseguiu escapar já quase fora de água. Uma descarga de adrenalina de grande nível, que nos fez acordar logo para a vida!! Já não íamos ter outra oportunidade igual.

Depois de este primeiro choque, resolvemos definir uma estratégia eficaz e tentamos pescar uma margem mais inclinada onde confluíam duas linhas de água diferentes. Aí estivemos durante cerca de 3 horas, depois de termos dado com alguns achigãs e luciopercas com vontade de morder. Não eram peixes de grande calibre, mas de qualquer forma, permitiam sempre uma pesca animada e alguns momentos de entusiasmo. Eu devo ter tirado 7 luciopercas e um achigã e o António, 1 achigã e 4 ou 5 luciopercas. Apesar de não ser muito, o cheiro a peixe foi tão intenso, que já a dobrar uma pedra, demos de cara com o amigo Torres à procura de safar a grade. Como é costume nestas coisas, já estava a entrar na zona do desespero e portanto lá lhe disse para ir a determinado sítio, e apesar de ter rezingado valente, lá tirou um lucioperca de 30 e picos centímetros e nem agradeceu!! OBRIGADO, TORRES!!

Depois desta captura final a safar grade, resolvemos começar a trilhar caminho para o restaurante, onde chegamos pelas 13h00. Ali, esperava-nos a receita do costume e foi sempre a andar até às 15h30. Carne, vinho, petiscos, sobremesa, etc. Isto tudo misturado com muito amizade, convívio e boa disposição, apesar de se contarem pelos dedos de uma mão aqueles que tinham tido alguma captura durante a manhã.

Terminado o repasto, resolvemos avançar para o ataque ao viveiro de Montalegre. Foi mais uma aventura épica, mas que será objecto de tratamento noutro post.

No global, este evento foi mais um grande sucesso de convívio. Muita amizade, partilha e camaradagem num excelente dia de sol onde o bronze foi garantido. Entre quedas pelas pedras e peixe que não saiu, não faltou nada para termos assunto nos próximos tempos … Pelo menos até ao TFC, já que nesse dia voltaremos à faina para fechar o ano em beleza!!

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.