Condições no Rio Côa – Dezembro 2018

Condições no Rio Côa – Dezembro 2018

Durante mais uma caçada às perdizes no vale do Côa, tive oportunidade de me chegar à beira do rio e tirar algumas fotos numa zona onde costumo pescar às trutas quase todos os anos. Apesar do frio que estava nesse dia, constatei que o rio Côa está claramente melhor em termos de caudal e qualidade de água relativamente ao ano anterior. A diferença de pluviosidade tem sido notória e proporcionou a necessária oxigenação e limpeza dentro de água e nas margens.

Sendo um rio influenciado pela barragem do Sabugal, nota-se que o efeito das descargas se fazem sentir, mas de forma pontual e sobretudo durante a noite. Efectivamente, no momento em que tirei as fotos e noutros momentos anteriores em que tenho estado perto do Côa, durante o dia, nota-se uma corrente sustentada, mas lenta. No entanto, nessas mesmas alturas observam-se também sinais de níveis mais elevados e correntes mais fortes de dias ou mesmo horas anteriores.

De qualquer forma, a água, apesar de fria, apresenta-se relativamente limpa, não sendo visível qualquer impacto de poluição. Nas horas mais quentes do dia, vê-se um ou outro peixe a mexer à superfície, mas não consegui identificar qualquer truta. Existem várias algas com um cor verde bastante saudável nas zonas de corrente e a movimentação de água é constante, mesmo nos poços mais fundos.

Sabemos que a desova das trutas já está em pleno andamento e o Côa não deve ser excepção a este nível. Por aquilo que vi, acredito que este rio apresenta condições para ter uma boa desova neste final de ano. Esperamos que assim seja!!

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.