Projecto “Peixes de Portugal”

Projecto “Peixes de Portugal”


Muito recentemente, deparamos online com o projecto “Peixes de Portugal”. Este projecto visa proteger as espécies fluviais nacionais e é apoiado por instituições como: a EDP, o aquário Vasco da Gama e a Quercus. Consideramos que este é um projecto bastante interessante, especialmente porque funciona a dois níveis. Primeiro, realiza um alerta fundamentado e com base científica relativamente às actuais condições de sobrevivência de alguns dos nossos peixes fluviais. Segundo, tem instalações que se dedicam ao reestabelecimento e recuperação de algumas das espécies mais ameaçadas.

A sua filosofia de actuação é claramente virada para a promoção de um maior equilíbrio natural, evitando-se assim técnicas reprodutivas de massa e que não respeitam a qualidade ambiental. Adicionalmente, a sua preocupação com a poluição, o ordenamento das margens dos rios e a redução da intervenção humana nas massas de água são também aspectos interessantes dentro do seu raio de acção.

Mas mais do que falar sobre este projecto, o melhor mesmo é vê-lo em acção e como tal, podem navegar no site em questão utilizando o link abaixo:

Projecto peixes de Portugal.

Num momento em que os problemas que afectam as nossas populações de peixes fluviais se tendem a agravar, esta é uma bem-vinda lufada de ar fresco que pretende alertar as consciências mais adormecidas para os problemas mais prementes das nossas massas de água interiores. Esperemos é que o seu âmbito de actuação se concentre mais sobre a acção do que sobre a teoria. Efectivamente, numa altura em que o Estado se prepara para se divorciar ainda mais das suas responsabilidades nesta matéria, terão que ser os privados a assumir um papel mais preponderante na defesa do seu património fluvial. Se assim não for, caminhamos todos para um inferno onde não faltarão boas intenções 🙂

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.