Revitalização do site do ICNF

Revitalização do site do ICNF




Recentemente, tivemos oportunidade de ver que o site do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, vulgo ICNF, sofreu uma alteração em termos de design e estruturação dos menús, de forma a tornar-se mais apelativo e agradável para o utilizador. Depois de alguma experimentação, a nível pessoal, verifiquei que as alterações de conteúdo e de organização de informação não foram alvo de atenção especial, mantendo-se a mesma estrutura.

Pensamos que esta pode ser uma oportunidade para que o site do ICNF se torne um veículo privilegiado de comunicação com o utilizador, seja ele pescador, caçador ou outrém. Numa altura em que a Internet centraliza uma parte integrante das nossas vidas, seria importante utilizá-la para rapidamente informar os pescadores de alterações na legislação e de outros assuntos do seu interesse. À medida que a gestão dos direitos de pesca se vão dispersando por várias entidades (parques, capitanias, associações de pescadores, etc.), faz cada vez mais falta ter um portal onde a informação se possa concentrar e o pescador possa ver as suas dúvidas esclarecidas. Isto evita equívocos que normalmente se traduzem em menores receitas (porque alguns pescadores, perante a dúvida, preferem não pescar) ou então em situações ingratas de penalizações e coimas, por falta de conhecimento sobre as alterações legislativas.

Penso que numa era em que a Internet facilita imenso a vida das pessoas, as instituições do Estado devem cada vez mais procurar usar esse veículo para manter a sociedade informada, organizada e actualizada. Só assim poderemos ter uma sociedade mais produtiva e mais conscienciosa. Penso que a nível daquilo que é a pesca desportiva, o ICNF pode ter um papel crucial para conduzir os pescadores a praticarem uma pesca mais informada e mais organizada, promovendo a publicação atempada de editais e controlando os processos de criação de concessões de pesca desportiva que efectivamente vão avante, pois temos deparado com muitos despachos de autorização de criação de concessões que depois não se traduzem em regulamentos específicos de exploração.

Enfim, mais que uma questão de imagem, penso que se impõe para breve uma total remodelação do modelo de gestão de informação e da relação que o ICNF deve pretender desenvolver com o utilizador final. Assim esperamos 🙂

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.