A caminho do fim das ETAR’s obsoletas??

A caminho do fim das ETAR’s obsoletas??

Recentemente, e na sequência de uma visita ao Rio Ovelha, tive oportunidade de passar por Paredes e deparei-me com uma situação que confirma aquilo que já tem sido ventilado várias vezes neste site. Pelos vistos, as ETAR’s não funcionam tão bem como parecem e prova clara disso é o facto de já estar anunciado para breve o fim da ETAR de Paredes. Esta ETAR fica localizada na proximidade do Rio Sousa e é impressionante o cheiro nauseabundo que sai desta massa de água. Não sei como é que ainda é possível existirem situações deste tipo!!

Parece-me que esta é uma decisão que deve apelar à consciência de outros municípios onde as ETAR’s também estão a funcionar de forma bastante deficiente. São vários os casos onde se regista uma notória diminuição da quantidade de vida fluvial e de densidade piscícola para jusante destas infra-estruturas. Pouco tem sido feito para controlar o seu funcionamento e a qualidade da água a jusante. Isto terá que mudar, pois poderemos estar a insistir na manutenção de erros com efeitos ainda incompreensíveis no médio e longo prazo.

O panorama no curso de água intervencionado pela ETAR é o que se vê na foto abaixo. O cheiro é verdadeiramente indescritível!

Rio Sousa - poluição - Paredes

Fica aqui esta notícia que tem muito interesse pelo exemplo que cria para outras situações similares. Esta é apenas uma das muitas que estão a causar sérios problemas.

Com bastante rios truteiros a serem objecto do funcionamento das ETAR’s (Zêzere, Lima, Vez, Côa, etc.), penso que este é um assunto que nos interessa directamente e ao qual devemos estar atentos. O pior problema que afecta a qualidade e quantidade de trutas é primordialmente a poluição. Todos os outros problemas são quase residuais quando comparados com a poluição.

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.