Repovoamento de trutas em Vieira do Minho

Repovoamento de trutas em Vieira do Minho


Com o aproximar da próxima temporada de pesca à truta de 2014, vão-se intensificando as acções de repovoamento de trutas. Desta vez, a acção de repovoamento realizou-se no concelho de Vieira do Minho e foi realizada pelos Serviços Florestais em colaboração com a Câmara Municipal.

Segundo notícia que nos chegou, a acção não visou o repovoamento de nenhum curso de água específico, mas sim a melhoria genérica das densidades populacionais dos vários cursos de água do concelho. De acordo com as fontes competentes, esta foi uma iniciativa que visou apenas aumentar o stock populacional para satisfazer os interesses dos pescadores na temporada que se avizinha.

Repovoamento Trutas

Síntese da notícia pode ser encontrada abaixo no site da Câmara Municipal de Vieira do Minho:


Mais uma vez, e à semelhança do que já tenho feito em posts anteriores, questiono-me sobre a legitimidade científica e visão estratégica desta acção de repovoamento e sobre os seus impactos nas massas de água em que ocorreu. Isto porque estamos a entrar em plena força na altura de desova das trutas indígenas e os cursos de água apresentam caudais relativamente reduzidos para esta época do ano.

Assim, parece-me bastante estranho que perante este conjunto de condições se possa realizar um repovoamento eficaz nesta altura do ano. Está-se a aumentar a pressão piscícola sobre um habitat aquático em stress por falta de água e ainda por cima, estão-se a introduzir elementos estranhos no normal processo de desova das trutas. Se o repovoamento visava apenas criar massa crítica para satisfazer os pescadores da zona, penso que poderia ter sido muito bem realizado uma semana antes da abertura. Se a intenção era preservar a população truteira das massas de água em causa, penso que foi um erro com consequências imprevisíveis no médio e longo prazo.

Mais uma vez, espero que tenham utilizado o património genético específico de cada massa de água nas sessões de repovoamento, porque caso contrário o problema ainda é mais grave.

Enfim, fica mais este apontamento sobre esta problemática do repovoamento que para mim se está também a tornar uma técnica demasiado recorrente. Ao contrário do que muita gente pensa, os repovoamentos são mais uma fonte de problemas do que de soluções. Em Portugal, usa-se e abusa-se do repovoamento porque é a técnica mais fácil de repor stocks. Todas as outras (eliminação da poluição, preservação de locais de desova, reparação de açudes, controlo da pressão de pesca) são mais trabalhosas e menos populares, mas são claramente as mais eficazes no médio e longo prazo.

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.