A crise, o fisco e a pesca às trutas.

A crise, o fisco e a pesca às trutas.


Tal como nos outros aspectos da nossa vida, prevê-se uma temporada conturbada na pesca à trutas, devido à crise e ao apertão fiscal de que vamos ser alvo em 2011. Reduções de rendimento, aumentos de IVA e a escalada do desemprego são apenas algumas das más noticias que se vão abater sobre os portugueses no próximo ano. Muitos de nós já fazem esforços financeiros enormes para poderem praticar o seu desporto favorito e para o ano as coisas vão-se tornar ainda piores. Claramente que a situação não está fácil e portanto convém começar a preparar os nossos planos de contingência desde já.

A altura do Natal é uma boa época para realizar já algumas compras com vista à nova temporada. Os preços ainda são baratos, existem alguns produtos interessantes disponíveis, no entanto é necessária alguma pesquisa pelas lojas de pesca. Os stocks de material da temporada passada, o defeso da pesca às trutas e a falta de procura são razões convincentes para que muitas das lojas de pesca apresentem preços reduzidos ou algumas promoções esporádicas durante esta época. Para os empresários do sector, interessa nesta altura libertar espaço e realizar dinheiro para poder encomendar as novas colecções de 2011. No entanto, a maioria dos stocks disponiveis nesta altura podem não ser os mais interessantes para os pescadores. Como nós sabemos, a maioria daquilo que sobra acabam por ser aquelas amostras ou materiais de pesca que ninguém quer ou que simplesmente não tiveram sucesso na época passada. Portanto, esta situação pode obrigar os pescadores a terem que visitar várias lojas de pesca para comprarem o que mais lhes interessa.

Apesar de estas visitas parecerem um grande incómodo, podem trazer poupanças consideráveis. O ínicio de uma temporada para as lojas de pesca (Janeiro) traz sempre consigo novos produtos, mas também novos preços. Muitos dos novos produtos até são de qualidade duvidosa e depois provam ser ineficazes para as nossas trutas, mas os novos preços são sempre eficazes e nunca são favoráveis aos pescadores. Estes novos preços são sempre ajustados para cima, especialmente numa altura em que a maioria das empresas vive com a corda no pescoço, incluindo, obviamente, os produtores, distribuidores e retalhistas de material de pesca. Se alguém tem que pagar a factura da má gestão, terá que ser sempre o consumidor. A juntar a este cenário, temos a mão pesada do Estado que vai entrar em acção em 2011, com a passagem do IVA de 21 para 23%. Esta alteração fiscal vai-se reflectir nos preços finais que os pescadores irão pagar quando entrarem na loja de pesca.

Efectivamente, não vale a pena estar com rodeios; a próxima temporada de pesca às trutas vai ser marcada desde logo por um aumento dos preços do material de pesca. Para algumas bolsas essa alteração poderá não ser muito significativa, mas para a maioria de nós vai trazer mossa e pode mesmo reduzir a frequência com que praticamos o nosso desporto favorito, especialmente se se vier a concretizar um aumento ainda mais acentuado do preço dos combustiveis. Neste cenário,vale a pena tentar encontrar algumas soluções engenhosas para reduzir a nossa factura piscatória … algumas já estão disponíveis no YouTube e outras podem surgir brevemente. Desde logo, admiro, por exemplo, o conceito da construção de colheres a partir de caricas de garrafas de cerveja que está muito divulgado nos EUA. Existem vários videos no YouTube sobre isto e as propostas são várias. Considerando que a maior parte do nosso dinheiro é gasto em amostras até que esta solução não é nada mal vista 🙂

Moral da história – “No poupar é que está o ganho” … isto é … desde que as trutas nacionais gostem tanto de cerveja como as americanas!!

Para rematar … em qualquer situação, aconselha-se sempre a que o pescador tente conseguir um desconto sobre o preço a que os produtos estão anunciados. Mesmo em caso de promoções, existem sempre alguns vendedores que querem se ver livres de determinado tipo de produtos e que não terão qualquer problema em fazer uma atenção, que nalguns casos pode ser considerável. Como se diz em bom português: “Quem não chora, não mama” e nunca se perde nada por tentar 🙂

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.