Pescadores de blogs – Trutas.

Pescadores de blogs – Trutas.

Depois de muitas tentativas, chegou finalmente o dia que se encontraram três dos bloggers que se dedicam a escrever sobre a pesca à truta em Portugal. Este era um encontro que há muito que era desejado para os respectivos se conhecerem, partilharem experiências e também trocarem algumas opiniões sobre a evolução da pesca à truta num futuro próximo.

À direita, na foto abaixo, temos o João Dias que é o administrador do Trutas e Serras Blogspot. À esquerda, temos o Miguel Pereira que é o administrador do Ninja Matrix. Ambos são pescadores de trutas dedicados e com uma forte vertente conservacionista. Foi com grande agrado que verifico que estes amigos pescadores não são minimamente fundamentalistas e utilizam diferentes técnicas de pesca em função das condições dos rios e da meteorologia. Não existem preconceitos e como tal utilizam desde a pesca à mosca seca, à pesca ao spinning e à pesca ao isco natural.

O encontro inclui algumas horas de pesca, mas também um excelente almoço no Restaurante “O Telheiro” em Terras do Bouro. Aproveitamos estes momentos para ir discutindo alguns dos assuntos que afligem as nossas trutas, bem como o futuro da modalidade. O novo regime dos Parques Nacionais (Gerês e Montesinho), o crescendo de fundamentalismo que se vive no seio dos pescadores à mosca e a poluição dos nossos rios foram dos assuntos que mereceram maior destaque no nosso convívio.

Já no final, aproveitamos para lançar a semente com vista a um convívio mais alargado que deverá ser realizado ainda este ano. Está na altura de tomarmos este nosso desporto a sério e criar as bases para a defesa das nossas trutas e dos nossos direitos de pesca.

Um bem haja ao João Dias e ao Miguel Pereira 🙂

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.