Rapala pega no conceito Prop – Novo X-Rap Prop

Rapala pega no conceito Prop – Novo X-Rap Prop

Mais um ano que se aproxima e a rapala continua a introduzir novos modelos de peixes artificiais no mercado para optimizar a sua oferta em 2013. Desta vez, a rapala pega num conceito já desenvolvido por outras marcas e tenta melhorá-lo, associando-o a um modelo que tem tido um enorme sucesso na pesca de predadores: a X-Rap.

Já existem alguns modelos no mercado que possuem uma hélice à frente e outra atrás, de modo a provocarem uma maior vibração na água. Agora, a rapala resolveu adoptar o mesmo conceito adaptando-o ao X-Rap de 11 centímetros. Com 11 gramas e equipada com três anzóis triplos número 6 da VMC, a X-Rap Prop é uma amostra desenhada para a pesca de superfície, procurando maximizar o efeito de atracção dos peixes que caçam com os olhos postos na superfície. À semelhança das outras X-Raps, esta também olhos holográficos, pena na ponta da cauda e um design impecável. Para já apenas está disponível em seis cores e num único tamanho, mas antecipamos que brevemente mais modalidades possam estar disponíveis.

Esta amostra foi desenhada sobretudo para os grandes predadores de superfície, como são o achigã ou o lúcio, mas a sua importância para a pesca da truta não deve ser menosprezada, especialmente em dias de temperatura amena e onde existam trutas de boa envergadura. A amostra presta-se não só a uma recuperação à tona de água, com uma velocidade de recolha lenta ou sacudida, mas também permite pescar abaixo da superfície, desde que se imprima uma maior velocidade de recuperação.

Para mais sobre este isco, podem visualizar o vídeo abaixo:

Em termos de lançamentos, esta é uma amostra com algum peso e relativamente equilibrada, o que lhe permite lançamentos precisos com capacidade para alcançarem distâncias razoáveis. Tem potencial para ser utilizada, não só na pesca ao corrico, mas também no spinning em várias vertentes.

No que diz respeito à truta, este é um isco com potencial limitado a zonas onde existam grandes trutas que estejam habituadas a comer à superfície. A capacidade para gerar mais ruído e vibração na água podem ser vantagens que podem fazer a diferença relativamente aos iscos mais habituais e que já são bastante conhecidos das trutas mais idosas.

Ainda não testamos este material, mas assim que for possível tentaremos deitar-lhe a mão para ver se vale mesmo a pena 🙂

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.