A criação da coutada de Paradela do Rio!

A criação da coutada de Paradela do Rio!




Meus amigos,

Já muito tem sido ventilado sobre a necessidade de valorizar a pesca à truta do ponto de vista turístico e sobre a importância de promover um acesso equilibrado e democrático aos direitos de pesca. A nossa luta tem sido sempre essa e temos trabalhado para que a pesca desportiva da truta consiga evoluir para além de uma actividade menor, em termos económicos e mediáticos. As nossas propostas são claras e temos vindo a publicitá-las sucessivamente no nosso site, à espera que as consciências mudem e que se consiga alcançar um paradigma superior.

Hoje, e depois de consultar o regulamento da concessão de pesca desportiva de Paradela do Rio, cheguei à conclusão que não vale a pena pregar aos peixes!! Hoje é um dia de infâmia e de luto para a nossa classe, quando se assiste claramente à criação de mais uma coutada para o “pessoal da terrinha”! Isto num parque nacional de primeira categoria, onde a mais valia turística da pesca à truta foi completamente posta de lado. Basta olhar ao regulamento que aparece abaixo. Leiam com cuidado …

Olhando a esta vergonha, é possível perceber que a pesca desportiva não tem qualquer futuro com o actual modelo. Este é o pior caso que já vi, especialmente depois dos alertas que têm sido emitidos para alterar este estado de coisas. O acesso quase impossível às licenças de pesca para quem é de fora, a distribuição dos lugares de pesca e os preços pagos por jornada são do piorio e demonstram uma vontade inigualável de coutar esta zona para uma meia dúzia!!

Comecemos pelo acesso às licenças de pesca. Podem ser compradas num restaurante e num snack-bar, que por acaso até nem têm números de telefone!! Os horários são verdadeiramente interessantes, até para quem vem de fora e gostaria de começar a pescar logo ao raiar do dia. Ou seja, palhaçada pura para inglês ver!!

Depois a distribuição das quotas de pesca, 50 para o pessoal da zona e 10 para o pessoal de fora. Logo à partida, cerca de 84% dos lugares disponíveis estão reservados para os “meninos da localidade” e os restantes, não são utilizados ou então revertem obviamente para os amigos de fora – “tudo controlado”.

Finalmente, temos a questão do preço. Que preços são estes meus amigos?? O que é isto?? 50 cêntimos o dia de pesca em Paradela do Rio no Parque Nacional da Peneda Gerês?? É isto que vale a pesca à truta nesta zona, com estas dimensões de direitos de pesca e esta paisagem natural??

Barragem de Paradela do Rio 2011

Sejamos honestos, assim, mais vale privatizar os direitos de pesca. Isto que aqui está não é nada, nem vale nada para ninguém. Cerca de 200 euros por ano por uma concessão com esta magnitude e depois preços de 50 cêntimos??

Com uma privatização dos direitos de pesca e contactando 30 pessoas “de fora” dispostas a pescar nesta zona, apenas 15 dias num ano (verdadeiros pescadores de trutas), consegue-se pagar facilmente 5000 euros/ano de licenciamento (com parte a reverter para as autarquias ou para o parque) e ainda sobra dinheiro para limpeza de margens, fiscalização e repovoamentos. Enfim, acho que perante este cenário terá que se avançar para um privatização parcial dos direitos de pesca das massas de água. Ao menos, temos coutadas que são coutadas, e quem as gere, paga o que deve pagar, e não se esconde atrás de associações que nada têm de social, nem de democrático. Claro que se se avançar para este modelo de privatização, o “pessoal da terra” passa logo para o furtivismo e tudo fará para que as concessões não andem para a frente. Tudo para detrimento do próprio desenvolvimento das localidades, mas a “inveja” neste país, comanda a vida.

Perante este tipo de atitude, acho que não há muito a dizer. Tenho pena é que a mente pérfida de quem elaborou esta proposta que beneficia só o pessoal da terra, não esteja também nas mãos de quem faz a triagem nos serviços de urgência dos hospitais das grandes cidades. Se calhar, e se fosse assim, ficaríamos todos em pé de igualdade, até porque nem precisamos uns dos outros!!

Finalmente, uma última palavra para quem aprovou este plano de exploração!! Sem comentários!! Só tenho pena é que os cortes do Estado não venham mais rápido, e que em vez de 4 mil milhões, deveriam ser de 12 mil milhões!! O Estado com isto não cria valor … apenas destrói valor e tudo com o dinheiro que nós pagamos de impostos.

No global, acho que esta concessão deve ser extinta à nascença pela sua natureza pouco democrática e constitucional. Tudo farei para que assim seja e, como é óbvio, não mais pescarei em Paradela do Rio, enquanto esta associação estiver a gerir esta massa de água. Cada cabeça, sua sentença, mas apelo para que todos façam os possíveis por denunciar estas situações e que ponham de lado este tipo de concessões. Temos que acabar com isto!! Isto é um atentado à classe dos pescadores de trutas!!

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.