Aspecto de Paradela do Rio – final de Março de 2013

Aspecto de Paradela do Rio – final de Março de 2013

Na semana passada visitei o Gerês e não podia deixar de passar por um lugar mítico que sempre me atormenta enquanto pescador de trutas: a Barragem de Paradela do Rio. Depois de um interregno em termos de pesca gerado pela introdução do novo plano do Parque Nacional da Peneda-Gerês, esta massa de água voltou a estar ao nosso alcance com a constituição de uma concessão de pesca desportiva.

Independentemente de discordâncias fundamentais que tenho com as condições de atribuição da concessão e com o respectivo plano de exploração da mesma, não posso deixar de me congratular pelo facto de se poder voltar a pescar às trutas neste local. Assim, e depois de uma viagem debaixo de chuva intensa, voltei a por os olhos neste local extremamente belo.

Inicialmente não saí de casa com a ideia de ir até Paradela do Rio, mas à medida que fui fazendo caminho, verifiquei que os rios e ribeiros do Gerês estavam com força excessiva para a pesca ao spinning, portanto só sobravam as barragens. Perante este cenário, nem hesitei. Iria visitar Paradela e se me agradasse o panorama, iria comprar a licença especial e pescar à minha maneira.

Apesar de ter visto que a Barragem estava cheia, desde longe, resolvi ir até ao muro para ter uma vista mais clara do que se ali passava. A barragem estava com um nível bastante elevado e portanto os locais de pesca eram relativamente reduzidos. Tinha que se escolher bem as zonas e ter cuidado com as amostras, nos lançamentos e nas recuperações.

O que me surpreendeu pela positiva foi a sinalização da concessão de pesca. Em cada 50 metros havia uma placa, algumas cobertas pela água da albufeira, e em pontos muitos concretos, existiam mapas a explicar quais os locais em que se podia pescar e quais as zonas de defeso. Qualquer pescador apanhado a cometer alguma ilegalidade não poderia certamente alegar falta de informação.

Concessão de pesca desportiva Paradela do Rio

Achei que, no global, esta é uma política de sinalização bastante bem conseguida e conscienciosa, permitindo avisar os mais incautos sobre a necessidade de comprar uma licença e escolherem bem o local de pesca. Acho que isto é fundamental para permitir uma pesca com maior segurança e confiança da parte dos pescadores de trutas.

Depois de analisar com calma as condições de Paradela, resolvi que valia a pena atacar a sério algumas zonas que eu bem conhecia. Fui até ao Café Benfica, que fica junto à rotunda de entrada em Paradela, para quem vem da Barragem de Venda Nova, e tirei a licença. Fui bem atendido e rapidamente me passaram a licença. Vi que era um dos poucos a pescar e isso animou-me. No final do dia, esta decisão revelou-se bastante acertada, mas isso é material para outro post.

Para já fica esta nota de que pescar em Paradela já é possível, não é complicado tirar a licença e de que, com a baixa do nível da albufeira, podem surgir pescarias bastante interessantes. Vou estar atento e se calhar ainda lá volto brevemente 🙂 🙂

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.