E continua a poluição no Rio Diz …

E continua a poluição no Rio Diz …


Apesar de já termos aqui falado sobre este assunto há algum tempo e sobre o problema que o mesmo significa para a fauna piscícola e saúde pública das margens dos rios Diz, Noéme e Côa, parece-me que tudo se mantém na mesma. De facto, de acordo com o site Green Savers, nada foi feito para atenuar ou simplesmente eliminar os efeitos perversos das descargas dos efluentes industriais no Rio Diz, que passa na cidade da Guarda. O problema parece estar encravado algures entre a negligência e o simples adiamento de uma solução que tem que ser aplicada, dê por onde der.

Poluição no Rio Diz Dezembro 2013

Como é do nosso conhecimento, os efeitos da poluição sobre a fauna piscícola agudizam-se na altura do Verão, pois nessa altura, a falta de água e reduzida oxigenação levam a que os peixes estejam mais expostos a este tipo de fenómeno. Aliás, é normalmente no Verão que se assistem às maiores mortandades de peixe, exactamente pelas razões apontadas acima.

Para um melhor conhecimento da situação actual, podem consultar o artigo de 22 de Agosto deste ano da Green Savers, abaixo apresentado:


No que diz respeito aos pescadores de trutas, esta situação é algo que está a minar o potencial de rios como o Noéme e o Côa, que sempre tiveram uma boa densidade de trutas. Efectivamente, esta situação é uma das principais responsáveis pelo facto de não existirem trutas para jusante da ponte da A25, reduzindo assim a área de pesca de quem se dedica a esta espécie em particular.

Perante este cenário, é do nosso interesse que se resolva esta questão o mais rapidamente possível. Acredito que com uma acção credível de limpeza do rio Côa e dos seus afluentes, é possível começar a pensar em pescar trutas desde a sua nascente até à foz num horizonte temporal de 10 a 20 anos. Esperemos que esse seja o caminho escolhido pelas nossas autoridades ..

Comentários Facebook - Trutas.PT
Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.