Concessão Ribeira da Veiga – Valença

Concessão Ribeira da Veiga – Valença

Depois de mais uma visita ao site do ICNF, mais uma pedrada no charco. Desta vez, uma associação de Caça e Pesca local da zona de Valença (Clube de Tiro, Caça e Pesca – Contrasta), resolveu pedir a constituição de uma concessão de pesca desportiva para um troço de 6,49 km de duas ribeiras locais afluentes do Rio Minho: a Ribeira da Veiga de Mira e a Ribeira da Pedreira.

A Ribeira da Veiga de Mira é um afluente do Rio Minho, com bom caudal, e onde existe uma saudável população de trutas comuns. Adicionalmente, é também um local de desova para várias trutas mariscas e salmões que sobem o Rio Minho. Com este tipo de características era de esperar que a taxa anual a aplicar por esta concessão fosse razoável, mas não. A atribuição ficou-se pela módica quantia anual de 11,68 euros!!

Truta Sapeira Minho

Por acaso, já pesquei na foz desta ribeira várias vezes ao longo de vários anos. É um local com bastantes trutas e que sempre proporcionava excelentes surpresas. Agora com as limitações no Rio Minho e com a criação desta nova concessão, apenas vamos ter uma pequena zona de pesca junto à foz desta ribeira.

Para quem quiser ter mais detalhes, a decisão foi tomada no dia 20 de Outubro de 2014 e o despacho pode ser consultado abaixo:


Relativamente à criação em massa de concessões a preços de banana, acho que está tudo dito e que se continua a fazer mais do mesmo. Por muito que queiramos estar contra o sistema, ele está instalado e ainda por cima numa lógica comunitária e associativa retrogada que em nada serviu, nem vai servir este País. Talvez um dia consigamos ter as pessoas certas nos lugares certos, mas para já o que sabemos é que quem lá está não nos interessa e portanto o que interessa mesmo é pô-los na rua o mais rápido possível, isto antes que criem um imposto ambiental sobre as canas de pesca e as amostras!! O ridículo é tão grande que eu penso que esta gente já nem sabe muito bem o que fazer para sacar o dinheiro a gente honesta para depois o dar dado a alguns grupos, incluindo as associações que pagam troços de rio a preços irrisórios.

Com o actual estado de coisas, a mudança é sempre boa, porque pior do que o que está é completamente impossível! Já nem interessa o partido em que se vota, porque verdadeiramente o que faz a diferença são as pessoas. E essas pessoas nós sabemos que existem, mas não estão neste momento no sítio correcto.

Enfim, independentemente de considerações políticas, o que importa ter em mente é que esta forma de gerir a pesca não se vai alterar nos próximos tempos, portanto, temos que tentar pensar como é que a podemos utilizar a nosso favor. Se nós não constituirmos as concessões, vão ser os outros a fazê-las e assim sucessivamente até não sobrar nada.

Para já, as Ribeiras da Veiga de Mira e Pedreira já foram entregues. O que se segue? É aguardar para ver … pelo ritmo a que as coisas andam não devem faltar novidades …

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.