Rapalas CD-3/CD-5 … A eficácia?

Rapalas CD-3/CD-5 … A eficácia?


Após várias jornadas a pescar com os Rapalas CD-3 e CD-5 durante este ano, está na hora de realizar um resumo critico da performance destas amostras em termos de eficácia na pesca às trutas. Estas são amostras que constam do stock de material de muitos pescadores de spinning e que são comercializadas como sendo vocacionadas para pescar trutas. Perante isto, impõe-se uma avaliação da forma como se comportam no desenrolar desta função especifica.

Em termos de natação e relativamente às versões mais recentes destes modelos que compramos, nada temos a referir. De facto, a boa distribuição de peso da amostra e a sua forma fusiforme permitem uma natação bastante próxima de um peixe natural, quer numa situação normal, quer quando está ferido. No entanto, há a realçar que ao longo do tempo, temos deparado com rapalas deste tipo a apresentarem diferentes tipos de comportamento. Isto poderá eventualmente ser o resultado de vários ajustamentos que têm sido realizados nestas amostras ao longo dos anos.

O principal problema destes rapalas está ao nível dos triplos que os equipam. Para a forma de ataque da truta e considerando o tamanho da sua boca, os anzóis deixam muito a desejar. São vários os episódios registados em que os anzóis não cravam rápidamente. Nesta temporada de 2010 e considerando as várias jornadas de pesca, diria que, em média, a eficácia na altura de cravar andará na ordem dos 20%. O que é um valor bastante baixo comparativamente a outros iscos, como a colher, o salmo, e outros rapalas. Apesar de os anzóis terem uma ponta bastante afiada, a operação de cravagem parece ser dificultada a vários níveis. Algumas trutas abocanham várias vezes a amostra e a mesma não responde minimamente. Não temos ainda certeza de qual o factor mais importante, mas possivelmente as explicações podem residir em aspectos como a grossura da barbela, a distância da haste para a ponta do anzol, o tamanho e design do anzol, etc.

Como estes são iscos caros, penso que devem ter um comportamento à altura do seu preço. Neste momento, tal não acontece, nem de perto, nem de longe. Os 10 euros que me pediram por um CD-5, na última vez que me dirigi a uma loja de pesca, fazem-me rir! Vale mais comprar 4 ou 5 colheres Mepps Aglia ou dois salmos.

Penso que a Rapala não se pode dar ao luxo de cometer erros com este tipo de situações. Os triplos destes rapalas merecem um estudo bastante atento, de modo a melhorar a sua performance para a pesca das trutas ao spinning. Efectivamente, já tive performances bastante boas com alguns CD-3 comprados há alguns anos nos EUA. Portanto, há aqui algo que me ultrapassa e que sinceramente não percebo. Se calhar foi um lote que apanhei por acaso :).

De modo a esclarecer este assunto e tornar estes argumentos mais claros, agradecia que, caso pesquem com os modelos apresentados neste post, teçam os vossos comentários a esta situação. Gostaria de conhecer a vossa opinião. Só assim poderemos ter uma posição mais bem estruturada e contribuir para o esclarecimento deste assunto.

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.