Condições no Zêzere – Valhelhas / Belmonte.

Condições no Zêzere – Valhelhas / Belmonte.


Em principios de Abril, o rio Zêzere apresentava condições razoáveis para a pesca à truta no troço entre Valhelhas e Belmonte. Este troço é sobretudo caracterizado por várias correntes em fundos de seixo rolado. Estas correntes são na sua maioria de baixa profundidade e permitem aos peixes uma forte capacidade de detecção de intrusos, nomeadamente pescadores. Os poucos poços, açudes e correntes mais profundas são os locais preferenciais para encontrar algumas trutas de bom tamanho.

Aproveitando a altura da Páscoa, desloquei-me a esta zona para verificar o estado das águas e também para tentar apanhar alguma truta mais desprevenida. O dia estava de Primavera com um sol forte e uma temperatura amena a partir das 10 horas da manhã. Nos picos da Serra da Estrela ainda existia neve abundante, portanto não era de estranhar que a água do Zêzere estivesse bastante fria. Sobretudo nas horas mais quentes notavasse a presença de alguma água do degelo no rio.

Na minha opinião, as condições não são ainda as ideais para a pesca à truta. A baixa temperatura da água leva a que a actividade das trutas seja ainda reduzida. Durante o percurso que fiz não visualizei nenhuma truta de bom tamanho. Vi sim muitos barbos e todos de bom tamanho. Identifiquei alguns de 2 e 3 kg, mas a maioria andava entre os 500 gramas e 1 kg. A maioria dos barbos encontrava-se nas correntes, estando os maiores nas correntes de maior profundidade.

Na área de Belmonte, verifica-se que o rio apresenta sobretudo grandes correntes de baixa profundidade em fundo de seixo rolado (ver foto abaixo). A configuração das correntes tende a alterar-se anualmente em função do nível de chuvas durante o Inverno. Devido à reduzida existência de poços, a pesca às trutas torna-se dificil, pois muitas vezes é necessário caminhar bastante entre as áreas mais produtivas. A zona de Belmonte também é caracterizada pelos primeiros vestigios de poluição associada às indústrias da região e sobretudo à escavação e transformação de areias e britas (cuja poeira é levada directamente para o rio por alguns efluentes). Um aspecto que deve ser mais controlado pelas autoridades competentes.

A jusante de Valhelhas, o rio Zêzere apresenta alguns bons poços (ver foto abaixo), mas continua a ser sobretudo caracterizado pela existência de várias correntes. Mais uma vez os barbos estão presentes em boas densidades nas correntes. Nesta área, a poluição é mínima, mas as trutas são bastante esquivas e dificeis de capturar. Na zona de Valhelhas propriamente dita, existem alguns bons açudes que tendem a albergar bons exemplares. Esses sim merecem sempre uma inspecção aprofundada, durante a manhã cedo, ao anoitecer ou em dias de chuva. Nunca é demais insistir nestes locais! Existem lendas famosas sobre grandes trutas do Zêzere com a marca de Valhelhas.

No global, o Zêzere, como rio de montanha alimentado pelas neves da Serra da Estrela, apresenta boas condições para o desenvolvimento de uma razoável população de trutas na área entre Valhelhas e Belmonte. Com o aquecimento das águas nas semanas que se seguem, espera-se que surjam dias mais favoráveis para tentar as trutas. Pela beleza natural da área, este é claramente um rio que merece a nossa visita. Passarão um dia excelente numa paisagem maravilhosa!

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.