Trutas em ribeiros de montanha – Julho.

Trutas em ribeiros de montanha – Julho.

Neste final de temporada e após visita a alguns dos mais famosos rios e ribeiros de montanha na zona do Alto Barroso e na Serra da Estrela, verificamos que as trutas se encontram em intensa actividade e muitas vezes em correntes com uma profundidade bastante reduzida. A tradicional abundância de alimento durante o mês de Julho (nomeadamente insectos) proporciona um bom cenário para o crescimento das trutas e verificamos que muitas delas apresentam já estômagos bastante cheios. Os insectos compõem uma grande fatia do conteúdo gástrico das trutas e verificamos que muitas delas se encontra em actividade mosqueira durante uma grande parte do dia, isto apesar dos momentos de maior intensidade se localizarem ao amanhecer e ao pôr do sol.

Após conversas com alguns dos pescadores locais nas zonas de montanha, verificamos que já se têm realizado algumas excelentes pescarias de trutas com gafanhoto (o tipico saltão) e grilo. Os locais escolhidos tendem a ser troços de rio com muita cobertura vegetal ((grande densidade de árvores na margem e sombra na água) e profundidade média razoável. Poços, açude e correntes lentas são os locais para se encontrarem os maiores exemplares.  Os momentos mais produtivos para a utilização destes iscos têm sido: o amanhecer, as horas de mais intenso calor (perto do meio-dia) e o final da tarde até à caída da noite. Para a prática efectiva deste tipo de pesca, aconselham-se canas flexiveis, fios finos, anzóis generosos e discrição na aproximação às margens.

Relativamente ao spinning, o potencial de pesca tem sido mais errático. Continuam a existir alguns dias bons para a pesca com amostra (sobretudo colher), mas tornam-se mais raros à medida que os dias aquecem e as trutas se refugiam nas margens à procura de sombra. Muitas delas metem-se mesmo no meio das raízes das árvores que delimitam os rios. Neste local, as trutas estão fora do alcance efectivo das amostras durante a maioria do dia. Poucas são aquelas, que com a barriga cheia, ainda estão dispostas a fazer grandes corridas atrás da colher. Para as amostras, os dias de eleição neste mês serão os dias de chuva, dias nublados ou de trovoada.

No global, este é o último mês de pesca para muitos dos aficionados da pesca à truta. Muitos de nós até já se viraram para outros desportos ou já de estão de férias. Para os mais resistentes, continuam a existir boas oportunidades para realizar pescarias generosas.  Basta insistir … para estar no sitio certo à hora certa 🙂

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.