A rota turística da Truta e da Pesca à Truta…

A rota turística da Truta e da Pesca à Truta…


Já há muito tempo que tenho vindo a referir a necessidade de reforçar a importância da pesca à truta como um factor de desenvolvimento turístico. A pesca à truta por tudo o que oferecer é claramente um chamariz para levar ao desenvolvimento de toda uma série de serviços, que passam pelos restaurantes, hotéis e outras infra-estruturas.

Em Portugal, temos algumas tentativas isoladas de promover a pesca à truta como produto turístico, das quais refiro os exemplos da Serra da Estrela e o festival da truta do Paiva, mas sem um fio condutor e uma estruturação que permita ao pescador turista desfrutar de bons momentos de pesca em boas condições. Falta claramente uma estratégia integrada para desenvolver a pesca à truta à escala regional e nacional, numa perspectiva de valorização dos recursos endógenos e promoção do turismo.

Truta de 27 cm Paradela do Rio Março 2013

Para tal, é preciso começar a conhecer alguns dos exemplos que vêm de outros países, incluindo aqueles que não têm tradição milenar de pesca à truta, como o Brasil. É com agrado que verifico que no Brasil, a pesca à truta tem uma forte dinamização e serve como pilar para desenvolvimento do turismo em determinadas zonas.

Uma das iniciativas que chamou a minha atenção no caso do Brasil, foi a criação de uma rota turística da truta, em que à volta do desporto se procurou dinamizar hotéis, restaurantes e toda uma série de serviços de apoio ao turismo. Isto num país onde a truta é um peixe introduzido e onde as condições dos rios não se comparam às nossas. Para mais informação sobre esta iniciativa, ver site abaixo:

A Rota da Truta no Brasil

Perante este exemplo, cabe-nos tirar as respectivas ilações. Temos em Portugal, rotas para o vinho, azeite, etc., mas para a truta nada. Ou porque nunca se pensou nisso, ou porque nunca houve vontade para avançar.

No entanto, a minha opinião é que uma criação de uma rota da pesca à truta nacional poderia ser o princípio de algo muito bom para o sector. Desde logo, chamaria mais atenção para as nossas problemáticas, permitiria uma melhor organização e estruturação do sector, bem como seria uma chamariz para mais investimento nas melhorias dos habitats e conservação das trutas.

Considero que a política do isolacionismo e de que as trutas devem ser apenas para o pessoal da terra não leva a nenhum lado e apenas perpetua o sub-desenvolvimento e a destruição de habitats e espécies por alguns. Se queremos mais e melhor pesca às trutas e preservação desta nossa espécie emblemática, temos que a levar a conhecer além fronteiras. Só assim, ela será devidamente valorizada.

A criação de uma rota é apenas uma de muitas ideias que podem ser accionadas. A sua execução não será muito difícil, até porque pode contar com apoios comunitários e regionais/nacionais. Haja vontade de fazer mais e melhor 🙂 🙂

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.