Nova campanha de pesca à truta responsável – Campia

Nova campanha de pesca à truta responsável – Campia


Com o aproximar da abertura da pesca às trutas, é de louvar que surjam várias iniciativas com o objectivo de protegerem o nosso património fluvial, nomeadamente as belas trutas fario. Apesar das várias ameaças que as vão afectando e reduzindo o seu número por todo o país, as trutas ainda vão sobrevivendo devido à ilusão, carolice e motivação que geram junto dos pescadores. Sem elas, não existiriam pescadores de trutas e como tal se queremos continuar a pescar temos que as preservar. Conscientes desta realidade, não é de estranhar que alguns de nós, que são mais conscienciosos e responsáveis, tentem fazer a diferença a vários níves.

Assim, e enquadrado neste espirito, é de registar pela positiva, a renovação da excelente iniciativa da Junta de Freguesia de Campia que procura alertar os pescadores que queiram pescar no rio Alfusqueiro para a necessidade de, pelo menos, se respeitarem as regras mais básicas da pesca à truta, nomeadamente: tamanhos mínimos, número de capturas máximo e período hábil de pesca. Apesar destas regras se aplicarem na íntegra aos lotes da zona de pesca concessionada do rio Alfusqueiro, devem também ser tomadas em conta na zona livre (nomeadamente o número máximo de capturas, pois as outras são obrigatórias por lei). 

Em termos práticos, esta campanha consubstancia-se na construção e divulgação de um folheto, não só na Internet (através deste e de outros sites), mas também na sede da Junta de Freguesia de Campia, nas entradas dos lotes das zonas concessionadas e nos acessos mais fáceis à zona livre do Alfusqueiro. Este folheto foi construído pelo nosso colaborador e amigo Miguel Pereira que é um dedicado pescador de trutas do Alfusqueiro e que cada vez mais quer garantir que o património truteiro desse rio seja preservado para as gerações futuras. O folheto, para além de explicar as regras a respeitar nos lotes geridos pela Junta de Freguesia de Campia, procura sobretudo sensibilizar todos os pescadores para a necessidade de conservação da truta fario, utilizando como argumento principal o lento crescimento e maturidade das trutas. É também de salientar o apelo que é realizado no sentido de combater o furtivismo, que é uma praga que ainda continua a fustigar os nossos rios.

Mas o melhor mesmo, é vermos o folheto na íntegra:

O Trutas.PT associa-se a 100% a esta iniciativa e gostaria de agradecer ao Miguel Pereira pelo seu voluntarismo e pelo tempo dispendido na criação deste folheto. Pensamos que estas iniciativas são sempre excelentes pontos de partida para um maior dinamismo na protecção das nossas trutas.

Bem haja e bons preparativos para a abertura 🙂

Related Posts with Thumbnails




Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.