Condições no Rio Coura – 2012

Condições no Rio Coura – 2012

Após as últimas visitas ao Rio Coura e considerando também os testemunhos de alguns pescadores que têm passado por lá, verificamos que o Rio Coura tem um caudal bastante reduzido na maioria dos troços. Efectivamente, o nível de água em certas zonas aproxima-se bastante daquilo que se observa durante o Verão.

As excepções a esta regra ocorrem nas zonas de Vilar de Mouros e Covas. Na primeira, o que se verifica é que a influência das marés leva a que exista água mais do que suficiente para pescar durante a maré alta. Já na segunda, a existência das barragens assegura a concentração de água em espaços consideráveis e mesmo a criação de algumas correntes artificiais à medida que são libertados excedentes pontualmente. Estas situações permitem que os pescadores de spinning ainda tenham algumas superfícies onde podem lançar os seus iscos e tentar mexer algumas trutas.

Relativamente à temperatura, verificamos que as manhãs ainda estão bastante frias, tendo registado uma temperatura de cerca de -1,5 graus no dia da abertura. Dentro de água, o panorama também não estava muito diferente, e água deveria andar algures entre os 5 e os 10 graus.

Com frio e falta de água, as trutas ainda estão difíceis de capturar. Acreditamos que à medida que o tempo for aquecendo, as trutas poderão aumentar os seus índices de actividade e tornarem-se mais vulneráveis às nossas amostras. Quanto à água … já nem sei o que diga. Se não chover, o melhor mesmo é começar a pensar na possibilidade de se interromper a pesca à truta no Coura e a nível nacional, ou mesmo pensar num fecho antecipado da temporada. Haja vontade política para isso e capacidade para antecipar este tipo de cenário!

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.