Dia de trutas no Rio Coura!

Dia de trutas no Rio Coura!




Mais um dia de pesca. Depois de um início desanimador no Rio Lima, e com ameaça de chuva, resolvi rumar ao Rio Coura. Eram cerca das 9h30 quando cheguei a um dos meus locais favoritos nesta altura. Nem sinal de pescador e nem sinal de peixe.

Como já vinha do Lima, mantive o material de heavy spinning e rumei à margem. O primeiro lançamento saiu numa zona com muitas árvores e alguma profundidade. Estava à espera que desse ali uma truta, mas depois de meia hora a coar água, verifiquei não valia a pena insistir. Tinha que avançar para montante.

Avancei então lentamente para montante e coloquei-me num espaço entre duas árvores. Lançamento para a outra margem, começo a recuperar e quando a amostra vem a meio caminho, sinto um puxão na cana e cravo instintivamente. Do outro lado, vejo um reflexo prateado de um peixe a dobrar na água. Era uma boa truta a tentar fugir para montante. Lá a tento segurar e afrouxo um pouco o carreto. Ela dá duas corridas para montante e jusante e salta fora de água. Não se ia render sem luta. Lá tirei o camaroeiro e quando a notei mais calma, coloquei-a dentro da rede. Já cá cantava a primeira truta do dia. Uma linda truta com 33 centímetros.

Truta 33 cm Rio Coura Julho 2014

Depois da primeira captura, o ânimo entrou rapidamente na pescaria. Mais uns lançamentos no local da captura e movimentei-me para montante, encontrando outro local idêntico ao anterior. Lançamento para a outra margem, a colher começa a rodar e sinto uma prisão na linha. Puxo e a linha começa a andar de lado. Cravo imediatamente e vejo a linha a arrancar com força para jusante e o carreto começa a cantar. Tinha uma truta maior do que a anterior presa na linha. Ela bem tentou fugir, mas a linha era nova e aguentou bem todas as investidas. Desde cabeçadas, passando por enrolamentos e corridas rápidas, a truta tentou de tudo para fugir ao inevitável. Em dois minutos, já estava o camaroeiro à espera dela. Depois de 7 ou 8 passagens, lá a consegui meter dentro do camaroeiro. Uma linda truta do Coura com 37 centímetros. Mais um exemplar de primeira qualidade.

Truta 37 cm Rio Coura Julho 2014

Com esta captura, o dia ficou praticamente ganho. Ainda terminei o troço para montante, mas sem resultado. Logo tive que me movimentar para o troço seguinte.

No troço seguinte do Coura, as condições estavam exactamente idênticas. Desci pela margem e entrei numa zona com um poço que desembocava numa língua de areia pouco profunda do meu lado. Estava eu a entrar no local para lançar e vejo uma truta com cerca de 30 centímetros a comer em 50 centímetros de água. Não me tinha visto e eu já a tinha visto. Não estava a mais de 5 metros de mim. Com a sombra a dar na água, eu só conseguia ver uma parte da língua de areia.

Lancei para jusante, a amostra vem lentamente na direcção da língua da areia e quando chega a 4 metros de mim, vejo a truta a avançar para a amostra, mas de repente pára e dá a volta, e então verifico que vem um vulto atrás da amostra. Quando ela está para sair da água, tendo eu um metro de linha da ponta da cana à amostra, o vulto abre a boca, morde a colher e dá-se uma explosão brutal na água. Só vejo água por todo lado e a truta a saltar non-stop fora de água. Mas uma truta com 1,5 kg ou mais. Ainda tentei abrir o carreto e dar-lhe linha, mas foi tudo rápido demais. Tanta pancada deu em 5 segundos que se conseguiu descravar dos triplos. Que bicho e que força!!

Apesar de ficar fulo com a situação tive que me resignar. Com pouca linha na água é quase impossível pensar em dominar peixes grandes. São eles que dominam totalmente a situação.

Depois deste episódio, resolvi fazer o resto do troço. Insisti numa zona profunda por entre as árvores e depois de várias tentativas tive a recompensa. A amostra vinha a subir na minha direcção e sinto uma truta a puxá-la para baixo. Tive a oportunidade de a ver a morder. Foi só cravar e deixar lutar 30 segundos. Quando senti o seu primeiro momento de acalmia, levantei-a a peso para as minhas mãos. Mais uma linda truta do Coura com 29 centímetros.

Truta 29 cm Rio Coura Julho 2014

Depois desta captura, dei por terminada a minha incursão no Coura. Achei que já tinha a minha conta e que estava na altura de avançar para outro local. Tal como nas vezes anteriores, mantém-se a boa forma do Coura, em termos de densidades de trutas. Um bom sinal que certamente ainda me vai tentar a passar por lá algumas vezes antes do final da época.

Related Posts with Thumbnails


Informação sobre o autor

Pescador de trutas desde os 18 anos. Tem uma forte dedicação ao spinning com colher e peixes artificiais, tendo pescado em Portugal, Espanha e no Reino Unido. Actualmente, pesca sobretudo na zona do Minho, Gerês e Centro do país.